Acordo de acionistas da Perdigão não afeta cotações

A Ágora Senior divulgou relatório comentando a assinatura do "Acordo de Voto" dos fundos de pensão acionistas da Perdigão, que irá vigorar a partir de 12 de abril por cinco anos ou até que a participação dos controladores seja reduzida a 20%. O acordo prevê que os fundos de pensão poderão se desfazer de suas ações sem comunicação prévia aos acionistas. Se as ações forem transferidas a terceiros, elas serão automaticamente desvinculadas do Acordo de Voto. Além disso, a empresa anunciou a conversão de todas as ações preferenciais em ordinárias e um desdobramento de 200%. A notícia foi considerada positiva pela corretora, embora já fosse esperada. Isso não deve gerar, contudo, reflexos no curto prazo, pois as ações atualmente estão pressionadas pela redução do consumo de carne de aves em função dos casos de gripe aviária na Europa. "Ainda é cedo para prever o real impacto da redução do consumo e dos preços médios na Europa", diz o relatório. A Ágora manteve a recomendação de compra para as ações da Perdigão, mas com visão de médio e longo prazo, ressaltando que não há hipótese de que o papel seja incluído nas carteiras recomendadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.