Açúcar Guarani será da Tereos Internacional, que abrirá capital

 Foco da companhia será produção de açúcar, produtos à base de amido e álcool para o setor de alimentos, além de bioenergia

Agência Estado ,

29 de março de 2010 | 09h41

A Açúcar Guarani, subsidiária do Grupo Tereos, passará para a Tereos Internacional, nova

companhia a ser criada a partir da combinação dos ativos no Brasil com os de cereal da empresa francesa na Europa e os de cana-de-açúcar do Oceano Índico.

 

Sediada em São Paulo, a Tereos Internacional prevê a dupla listagem na BM&FBovespa, no segmento Novo Mercado, e na NYSE Euronext em Paris. O Grupo Tereos, que tem participação de cerca de 69% das ações da Guarani, pretende permanecer como acionista majoritário da Tereos Internacional, conforme comunicado divulgado nesta manhã.

 

"A Tereos Internacional contempla captar recursos por meio de uma oferta pública de ações tanto na BM&FBovespa no Brasil quanto na NYSE Euronext Paris, na França, após a conclusão da reorganização societária e o registro da Tereos Internacional como uma companhia aberta, sujeita às condições do mercado", diz na nota.

 

O foco da companhia será produção de açúcar, produtos à base de amido e álcool para o setor de alimentos, além de bioenergia.

 

O patrimônio líquido da Guarani foi avaliado em 686 milhões de euros, ou R$ 5,83 por ação na cotação de fechamento em 9 de março, data em que os minoritários da área de cereais da Tereos, em sua maioria cooperativas, concordaram com a reorganização de suas participações na Tereos Agro e Tereos Participations, que serão as duas acionistas controladoras da Tereos Internacional. Em 31 de março, próxima quarta-feira, a companhia espera tornar efetiva a operação em que todos os ativos de cereais do Grupo Tereos serão detidos pela Tereos EU, que por sua vez será 100% detida pela Tereos Internacional.

 

Já o patrimônio líquido da Tereos EU está avaliado em 1,021 bilhão de euros, dos quais 393 milhões de euros relativos aos cerealistas. "Tais avaliações resultaram em uma paridade de 40% / 60% entre Guarani e Tereos EU", explica o comunicado.

 

A relação de troca para a incorporação será definida por um comitê independente, a ser aprovado pelos acionistas da Guarani até o final de abril e composto por três especialistas, que avaliará se o precedente da Tereos EU deverá ser considerado na operação. Em seguida, a Assembleia Geral Extraordinária votará a incorporação das ações da Guarani pela Tereos Internacional, que se tornará a única companhia do grupo listada na BM&FBovespa.

 

Em fim de maio está prevista a publicação da recomendação do comitê independente e convocação da segunda AGE da Guarani, para então no final de junho aprovar a incorporação, que está sujeita a autorizações, incluindo o parecer do conselho de trabalhadores europeus, além de aprovações dos conselhos e acionistas.

 

O presidente da Tereos Internacional será André Trucy, ex-diretor geral da Rhodia no Brasil e que também foi presidente da Roquette, produtora europeia de amido. O conselho de administração terá 12 membros, presidido por Philippe Duval, diretor presidente da Tereos.

 

A Tereos Internacional terá receita anual pro forma de US$ 2,51 bilhões e Ebitda de US$ 366 milhões, com base no exercício encerrado em 30 de setembro de 2009. O índice dívida líquida/Ebitda pro forma é de 3,24 vezes, em IFRS, contra 4 vezes da Guarani, calculado em BR Gaap com base em 30 de setembro de 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
Açúcar GuaraniTereos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.