ADRs acompanham resto do mercado e fecham em queda

Índice Brazil Titans fechou em alta de 43,07 pontos (0,12%), em 34.646,33 pontos

Renato Martins, da Agência Estado ,

22 de junho de 2011 | 18h46

Os recibos de ações de empresas estrangeiras negociados em Nova York fecharam em baixa, em linha com o resto do mercado, depois de o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) emitir uma visão cautelosa sobre a perspectiva da economia. O índice de ADRs do Bank of New York caiu 0,9%, para 138,32 pontos.

O índice de ADRs europeus fechou em queda de 1,2%, em 128,12 pontos, em meio a temores de que os consumidores da região estejam reduzindo seus gastos. Os ADRs da holandesa Philips Electronics caíram 10%, depois de a empresa advertir que seus lucros deverão ser afetados por um enfraquecimento da demanda na Europa ocidental. Os ADRs dos bancos britânicos caíram, depois de o HSBC rebaixar suas recomendações para Lloyds (-1,3%), Barclays (-3,8%) e Royal Bank of Scotland (-2,4%).

O índice de ADRs asiáticos recuou 0,5%, para 132,92 pontos. Os ADRs da KT Corp. caíram 2% e os da SK Telecom recuaram 0,9%, depois de autoridade reguladora de telecomunicações na Coreia do Sul barrar a participação das duas empresas num leilão de frequências a realizar no fim do mês, por causa de preocupações quanto à concorrência justa.

O índice de ADRs latino-americanos contrariou a tendência das outras regiões e subiu 0,3%, para 396,36 pontos, e o índice Brazil Titans fechou em alta de 43,07 pontos (0,12%), em 34.646,33 pontos. Os ADRs da Vale subiram 0,26%, depois de a empresa apresentar ao governo da Argentina o plano de investimentos para seu projeto de extração de potássio de Rio Colorado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsrecibosações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.