ADRs brasileiros negociados em Nova York fecham em alta

Papéis da BRF Brasil Foods subiram 4,17%

Álvaro Campos, da Agência Estado,

31 de agosto de 2010 | 18h32

Os ADRs brasileiros negociados em Nova York fecharam em alta, com um desempenho melhor que as bolsas norte-americanas, que registraram pequeno avanço. Mais cedo as bolsas foram impulsionadas pelo aumento no índice de confiança do consumidor do Conference Board, mas depois cederam os ganhos após a divulgação da ata do Comitê de Política Monetária do Federal Reserve, que mostrou que as autoridades estão cada vez mais divididas em relação a qual caminho seguir. O índice Dow Jones Brazil Titans 20 avançou 533,85 pontos (1,71%), para 31.693,24 pontos.

 

Os papéis da BRF Brasil Foods tiveram um dos melhores desempenhos da sessão, com ganho de 4,17%, a US$ 13,49. O presidente executivo da companhia, José Antônio Fay, disse hoje que a BRF não cogita ir à Justiça para obrigar o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a acelerar o processo de aprovação de união entre Perdigão e Sadia. O negócio, que transformou a Sadia em subsidiária da BRF, sucessora da Perdigão, foi anunciado em maio do ano passado, mas ainda depende da aprovação do órgão.

 

O Itaú Unibanco subiu 3,70%, a US$ 21,57. A Tim avançou 3,44%, a US$ 28,59. A Ambev ON ganhou 2,93%, a US$ 94,70; os papéis PN da empresa tiveram alta de 2,71%, a US$ 110,69.

 

A Braskem teve valorização de 1,24%, a US$ 17,94. A petroquímica estuda a possibilidade de encerrar as operações da fábrica de polipropileno instalada em Camaçari (BA), segundo o Sindicato dos Químicos e Petroleiros da Bahia. A unidade, hoje controlada pela Quattor e que já foi operada por Petrobras, Suzano Petroquímica e Polibrasil, entre outras, tem como principal adversidade a baixa competitividade de sua produção, aspecto que passou a ter maior relevância após a aquisição da Quattor pela Braskem.

 

Entre as poucas empresas que fecharam no campo negativo, a Sabesp caiu 3,58%, a US$ 38,00. A CPFL Energia perdeu 1,19%, a US$ 71,28. A Cemig ON teve retração de 2,01%, a US$ 12,20; mas os recibos PN da companhia ganharam 0,61%, a US$ 16,52.

 

No grupo dos ADRs que mais influenciam a variação do índice, a Petrobras ON teve alta de 1,65%, a US$ 33,35; os recibos PN da estatal avançaram 2,11%, a US$ 29,56. A Vale ON ganhou 1,29%, a US$ 26,75; a Vale PN subiu 2,25%, a US$ 23,62.

 

O Bradesco teve valorização de 1,91%, a US$ 17,63. Hoje o vice-presidente da instituição, Norberto Barbedo, afirmou que o banco pretende abrir uma corretora em Hong Kong até o ano que vem. O executivo disse também que as corretoras do Bradesco em Nova York e Londres serão ampliadas em novembro e que a unidade Bradesco Luxemburgo terá seu nome alterado para Bradesco Europa.

 

O índice Dow Jones Brazil Titans inclui as 20 ações de empresas brasileiras de maior liquidez e capitalização de mercado negociadas na bolsa norte-americana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsbolsaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.