ADRs brasileiros negociados em Nova York operam em queda

Ativos acompanham o recuo das bolsas norte-americanas

Álvaro Campos, da Agência Estado,

27 de julho de 2010 | 12h41

A maioria dos ADRs brasileiros negociados em Nova York opera em queda, acompanhando o desempenho das bolsas norte-americanas, que oscilam influenciadas pelo recuou na confiança do consumidor e por uma alta nos preços dos imóveis residenciais. Às 12h40 (de Brasília) o índice Dow Jones Brazil Titans 20 recuava 15,79 pontos, ou 0,05%, para 32.636,57 pontos.

 

Entre os recibos que mais perdiam estavam os papéis da TAM, que caíam 3,18%, a US$ 16,45. A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) recuava 1,93%, a US$ 16,75. A Gerdau tinha queda de 2,01%, a US$ 14,60. A CPFL Energia registrava retração de 1,87%, a US$ 67,60.

 

No grupo dos papéis que operavam no positivo, a Oi (ex-Telemar) subia 2,33%, a US$ 17,16. O Santander tinha alta de 1,48%, a US$ 13,01. A BRF Brasil Foods ganhava 0,87%, a US$ 13,91.

 

Os ADRs que mais pesam na variação do indica também operavam em queda, com a Petrobras caindo 0,19%, a US$ 36,22 nas ações ON; os recibos PN da estatal tinham ganho de 0,06%, a US$ 31,87. A Vale ON cedia 0,94%, a US$ 27,33; a Vale PN tinha retração de 0,79%, a US$ 23,80. O Itaú Unibanco tinha leve alta de 0,32%, a U 21,96.

 

O índice Dow Jones Brazil Titans inclui as 20 ações de empresas brasileiras de maior liquidez e capitalização de mercado negociadas na bolsa norte-americana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsaçõesbolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.