ADRs brasileiros negociados em Nova York operam em queda

Novo dado negativo sobre setor imobiliário norte-americano pressiona mercados

Álvaro Campos, da Agência Estado,

25 de agosto de 2010 | 12h46

Os ADRs brasileiros negociados em Nova York operam em queda, com um desempenho pior do que o das bolsas norte-americanas, que oscilam entre ganhos e perdas, pressionadas pela retração de 12,4% na venda de imóveis residenciais novos em julho, ante maio. Às 12h33 (de Brasília), o índice Dow Jones Brazil Titans 20 recuava 339,32 pontos (1,08%), a 31.023,74 pontos.

 

No campo negativo, a Gol liderava a queda, com desvalorização de 2,34%, a US$ 12,50. A Ambev ON recuava 2,14%, a US$ 90,44; os papéis PN da empresa perdiam 1,20%, a US$ 107,41. A Tim registrava retração de 1,98%, a US$ 27,22.

 

Entre as poucas empresas que operavam no positivo, a Ultrapar subia 0,63%, a US$ 54,60. A Telesp Par ganhava 0,54%, a US$ 22,14. A BRF Brasil Foods avançava 0,23%, a US$ 12,95.

 

No grupo dos ADRs que mais pesam na composição do índice, a Petrobras ON tinha queda de 0,98%, a US$ 33,19; os recibos PN da estatal perdiam 0,88%, a US$ 29,25. A Vale ON caía 1,91%, a US$ 26,16; a Vale PN recuava 1,41%, a US$ 23,07. O Itaú Unibanco registrava perda de 1,44%, a US$ 20,50.

 

O índice Dow Jones Brazil Titans inclui as 20 ações de empresas brasileiras de maior liquidez e capitalização de mercado negociadas na bolsa norte-americana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsbolsaaçõesEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.