ADRs brasileiros negociados em Nova York operam em queda

Recibos acompanham oscilação das bolsas de Wall Street

Álvaro Campos, da Agência Estado,

26 de agosto de 2010 | 12h54

A maioria dos ADRs brasileiros negociados em Nova York opera em queda, acompanhando as bolsas norte-americanas, que oscilam entre ganhos e perdas, pressionadas pela retração no índice de atividade industrial do Federal Reserve de Kansas City, mas impulsionadas por uma queda no número de trabalhadores que entraram pela primeira vez com o pedido de auxílio-desemprego. Às 12h50 (de Brasília), o índice Dow Jones Brazil Titans 20 recuava 80,99 pontos (0,23%), a 31.131,13 pontos.

 

No campo negativo, o banco Santander perdia 1,51%, a US$ 12,41. A Telesp Par recuava 1,61%, a US$ 22,03. A Copel caía 0,97%, a US$ 22,36.

 

Entre as maiores altas da sessão, a Braskem subia 3,89%, a US$ 18,15. A Cemig PN ganhava 2,41%, a US$ 15,75; os papéis ON da empresa ainda não foram negociados hoje. A CPFL Energia avançava 1,20%, a US$ 72,25.

 

No grupo dos ADRs que mais pesam na composição do índice, a Petrobrás ON tinha alta de 0,06%, a US$ 33,43; os recibos PN da estatal subiam 0,75%, a US$ 29,64. A Vale ON ganhava 0,38%, a US$ 26,52; a Vale PN registrava valorização de 0,65%, a US$ 23,38. O Itaú Unibanco recuava 0,73%, a US$ 20,53.

 

O índice Dow Jones Brazil Titans inclui as 20 ações de empresas brasileiras de maior liquidez e capitalização de mercado negociadas na bolsa norte-americana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsbolsaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.