ADRs fecham em alta com esperança de ajuda para a Grécia

Índice Brazil Titans fechou em alta de 129,73 pontos (0,38%), em 34.183,25 pontos

Renato Martins, da Agência Estado ,

17 de junho de 2011 | 18h11

Os recibos de ações de empresas estrangeiras negociados em Nova York fecharam em alta, em linha com o resto do mercado, depois de os governos da Alemanha e da França proporem a aprovação rápida de um novo pacote de ajuda financeira para a Grécia. O índice de ADRs do Bank of New York subiu 0,7%, para 136,98 pontos.

O índice de ADRs europeus avançou 1,1%, para 127,29 pontos. Entre os destaques do dia estavam os ADRs de bancos europeus, que haviam caído muito recentemente por causa do temor quanto à sua exposição à dívida da Grécia (Crédit Agricole +3,2%, Societé Générale +3,8%, BBVA +6,8%).

O índice de ADRs latino-americanos subiu 0,6%, para 390,15 pontos, e o índice Brazil Titans fechou em alta de 129,73 pontos (0,38%), em 34.183,25 pontos. Os ADRs da argentina Cresud subiram 1,6%, depois de a empresa anunciar a compra de 5 mil hectares de terra na Bolívia por US$ 13 milhões. Os ADRs da TAM subiram 3,4% e os da chilena LAN avançaram 2,8%, em reação ao informe de que o Cade não viu até agora qualquer impedimento para a fusão entre as duas empresas.

O índice de ADRs asiáticos recuou 0,2%, para 131,23 pontos. Os ADRs da empresa de tecnologia para energia solar China Sunergy caíram 12%, depois de a empresa rebaixar sua projeção de vendas para o trimestre; outros ADRs do setor também caíram, entre eles JinkoSolar Holding (-4,2%) e LDK Solar (-5,2%). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ADRsGréciarecibosações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.