Aéreas brasileiras ganham espaço no País mas perdem no exterior

O mercado doméstico de aviação civil cresceu 12,3% em 2006, em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados hoje pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A TAM elevou sua participação e encerrou o ano com uma fatia de 47,84%, contra a de 41,31% mantida em 2005. A Gol, por sua vez, elevou sua fatia para 36,96% em 2006, ante 25,89% no ano anterior. A Anac informa que a participação do grupo Varig foi de 10,01%, ante 25,48% em 2005. A Varig Linhas Aéreas fechou o ano com uma parcela de 0,25% do mercado. Em dezembro, o crescimento do mercado doméstico de aviação civil foi de 8,1%, na comparação com o mesmo mês de 2005.OcupaçãoA taxa de ocupação média das companhias aéreas durante todo o ano de 2006 atingiu 72% nos vôos domésticos, um ponto porcentual acima do registrado no ano anterior, segundo os dados da Anac.A TAM registrou média de ocupação no ano de 73%, ante 70% registrada em 2005. A Gol manteve o indicador em 74%. O grupo Varig registrou taxa média de 63% no ano, ante 69% do ano anterior, enquanto a Varig Linhas Aéreas obteve ocupação média de 67% em 2006.Na BRA, o indicador foi reduzido para 75% em 2006, ante 79% registrado em 2005. A OceanAir, por sua vez, obteve uma taxa de ocupação média de 57%, ante 49% do ano anterior.InternacionalAs operações das aéreas para o mercado internacional caíram 30,2% em 2006 em relação ao ano anterior, informa a Anac.Apesar da redução significativa em relação a 2005, a Varig fechou o ano na liderança, com participação de 49,80%. No ano anterior, a fatia da empresa era de 76,95%. A TAM ampliou sua participação de mercado para 37,32%, ante os 18,44% registrados em 2005 e manteve a segunda posição.A Gol também elevou sua fatia, para 7,30%, ante 2,11% mantida no ano anterior. A participação da BRA cresceu para 4,67%, ante 2,34% em 2005.O nível médio de ocupação dos vôos internacionais caiu para 74% em 2006, ante 76% registrado em 2005. A TAM elevou o indicador para 77%, contra 74% do ano anterior, enquanto a Gol reduziu a taxa para 67%, ante 71% de 2005. A BRA, por sua vez, registrou ocupação de 83%, um ponto porcentual abaixo do registrado em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.