AES Tietê quer emitir R$ 900 mi pagando CDI mais juros de até 1,20%

Teto máximo de juros que a empresa está disposta a pagar é 1,20% ao ano mais a variação do CDI

Agência Estado,

31 de março de 2010 | 09h40

A AES Tietê, que pertence ao grupo AES Brasil, começa hoje a apresentar a investidores sua emissão de R$ 900 milhões em debêntures simples. Os road shows vão até o dia 20 de abril. A remuneração do papel será definida dia 22. O teto máximo de juros que a empresa está disposta a pagar é 1,20% ao ano mais a variação do CDI.

 

O dinheiro captado será usado para o pagamento do saldo de dívida que a empresa tem com a Eletrobras, que somava R$ 969 milhões em 31 de dezembro do ano passado.

 

Os papéis têm prazo de cinco anos. A oferta pública foi aprovada dia 13 de março pelo conselho da empresa. 

 

A Moody's atribuiu rating "Aa2.br" para a emissão. A Fitch deu nota "A+(bra)".

 

O coordenador líder é o Bradesco Banco de Investimento (BBI). Banco Votorantim e HSBC também participam. A liquidação da operação está prevista para o dia 3 de maio.

Tudo o que sabemos sobre:
AES Tietê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.