Agência de classificação de risco S&P rebaixa nota de crédito do Japão

Standard & Poor's afirma prever que os déficits fiscais do país continuarão elevados nos próximos anos

Hélio Barboza, da Agência Estado,

27 de janeiro de 2011 | 08h52

A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P)rebaixou o rating da dívida soberana do Japão de AA para AA-, com perspectiva estável, dizendo prever que os déficits fiscais do país continuarão elevados nos próximos anos.

"O rebaixamento reflete nossa avaliação de que os quocientes de dívida do governo do Japão - já entre os mais altos para dívidas soberanas - continuarão a aumentar mais do que vislumbrávamos antes que a recessão econômica global atingisse o país e chegarão ao pico em meados da década de 2020", disse a agência em um comunicado.

A notícia é mais um golpe sobre a já problemática situação fiscal do Japão, uma vez que as dívidas acumuladas pelo governo somam quase 200% do PIB. "Em nossa opinião, o Partido Democrático do Japão lidera um governo no qual falta uma estratégia coerente para resolver esses aspectos negativos das dinâmicas da dívida do país", afirmou a S&P.

Os mercados reagiram imediatamente à notícia, com forte queda do iene. O dólar subiu para 83 ienes, de 82,15 ienes antes do anúncio da S&P. Às 7h15 (de Brasília), o dólar avançava para 82,75 ienes, de 82,16 ienes ontem.

Fitch

Os próximos meses serão cruciais para a capacidade de o governo do Japão manter sua estabilidade de financiamentos, com o impasse político como uma preocupação, já que pode dificultar a meta de Tóquio de reduzir a enorme dívida pública do país. O comentário foi feito por Thomas Byrne, analista da Moody's Investors Service para Ásia e Oriente Médio.

Embora a Moody's mantenha o rating Aa2, com perspectiva estável, para a dívida soberana do Japão, a agência está preocupada com a capacidade do governo de reter a confiança do mercado para que os custos dos empréstimos, atualmente em níveis baixos, não aumentem.

"O período crucial será nos próximos meses, para ver se o governista Partido Democrático do Japão e o primeiro-ministro Naoto Kan poderão fazer progresso com as reformas dos sistemas de aposentadoria e de impostos que propuseram", comentou Byrne. As afirmações foram feitas após a Standard & Poor's rebaixar o rating de dívida soberana do Japão de AA para AA-. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.