Agência de risco Moody´s eleva teto soberano do Brasil

A agência classificadora de risco de crédito Moody´s alterou a metodologia de cálculo e elevou o teto soberano em moeda estrangeira de 70 países, entre eles o Brasil. Isto não significa uma elevação do rating do País. Desta forma, o teto soberano subiu de Ba3 para Ba2, enquanto o rating do Brasil continua em Ba3. O que a Moody´s fez foi dissociar o teto do rating soberano. O teto é o limite para o rating dos emissores de um determinado país, sejam eles empresas ou governo. O rating é a classificação efetiva do risco de crédito do país. A nova metodologia reforça a tendência de empresas terem ratings acima do rating soberano. Desde 2001, a Moody´s já concede a alguns títulos emitidos por algumas empresas, sobretudo as exportadoras (que têm receita em dólares), classificações superiores à classificação soberana. Petrobras, Companhia Vale do Rio doces, CSN e AmBev estão entre elas. No passado, o teto era equivalente ao rating soberano do país. A Moody´s mudou a metodologia com base na evidência de que, apesar de alguns países já haverem declarado moratória, esta se mostrou seletiva, ou seja, as empresas continuaram pagando suas dívidas em moeda forte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.