Ágora recomenda compra de ações de Sadia e Perdigão

A corretora Ágora reavaliou as empresas Sadia e Perdigão e elevou a recomendação para as ações de ambas, de neutra para compra. Para a Sadia, o novo preço-alvo é de R$ 9,32, ao final de 2007, com potencial de valorização de 26,8%. Para a Perdigão, a previsão é que a ação esteja valendo ao fim do ano R$ 36,13, o que embute perspectiva de alta de 23,8%. A Ágora avalia que as empresas devem ter iniciado uma melhora de desempenho já no quarto trimestre do ano passado, com a amenização dos problemas sanitários e a recuperação de renda da população. A perspectiva é que o desempenho recupere os níveis históricos anteriores à gripe aviária, no segundo trimestre. "O pior momento para o setor já passou", diz o documento. Para a Ágora, o setor vai se beneficiar do crescimento de renda mundial e as empresas brasileiras têm condições de sair na frente pois possuem os "menores custos de produção, melhor infra-estrutura e logística, além de economias de escala, por conta da grande concentração do setor no País". No Brasil, a corretora espera aumento do consumo de frango tantos nas classes mais pobres, por conta do preço acessível, como nas mais altas, por conta de ser uma carne mais saudável. Para as exportações, a expectativa é de retomada dos níveis de 2005, com a diminuição dos problemas sanitários. "O País deverá ainda aumentar sua presença em países em desenvolvimento, principalmente Ásia e Oriente Médio", diz o texto. Os destaques para a Sadia, aponta a Ágora, são a força da marca e a liderança no mercado internacional. No caso de Perdigão, as sinergias com a compra da Batávia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.