Ainda com giro reduzido, Bovespa segue exterior e cai

Ibovespa recua 0,31%, aos 54,561 pontos, tem ganho de 8,5% no mês, mas desvalorização de 10,98% no ano

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

25 de setembro de 2013 | 18h28

O mercado acionário doméstico segue em movimento de ajuste após a euforia com a manutenção dos estímulos à economia norte-americana pela autoridade monetária dos Estados Unidos (Federal Reserve, Fed), na semana passada. Diante da falta de notícias, assim como no pregão anterior, faltou força para a Bovespa engatar uma trajetória consistente, seja de alta ou de baixa, em mais um dia de volume de negócios reduzido nesta quarta-feira, 25. O índice acabou acompanhando a tendência de queda em Nova York, onde os investidores aguardam novidades sobre as negociações do Orçamento e do teto da dívida no Congresso dos EUA.

O Ibovespa operou no vermelho durante praticamente toda a sessão, para encerrar em baixa de 0,31%, mesmo porcentual da véspera, aos 54.561,11 pontos. Na máxima, na primeira hora de negócios, subiu 0,33%, aos 54.612 pontos, enquanto, na mínima, foi aos 53.968 pontos, em queda de 0,85%. O giro foi mais fraco, totalizando R$ 5,48 bilhões (dado preliminar). Em setembro, a Bolsa paulista acumula ganho de 8,5%, mas, no ano, tem perda de 10,98%.

"O mercado hoje está mais lateral, num momento em que o investidor não tem interesse em assumir muito risco. Falta notícia tanto para a Bolsa subir quanto para cair. Não é possível definir uma tendência para a Bovespa neste momento", afirmou durante o pregão o analista-chefe da corretora Magliano, Henrique Kleine.

Enquanto as ações da OGX pressionavam o Ibovespa para baixo, com queda de 2,63% no fechamento, Vale ajudava a amenizar a perda do índice à vista, com as ON e PNA da mineradora em alta de 0,85% e 1,05%, respectivamente. As ações da Petrobrás, por sua vez, fecharam em direções distintas com as ON em baixa de 0,17% e as PN em alta de 0,16%.

Os destaques de valorização do Ibovespa foram Embraer ON, que subiu 2,90%, seguida por Energias do Brasil ON (+2,50%), Brookfield ON (+2,42%), Marfrig ON (+2,16%) e B2W ON (+1,97%).

As principais quedas foram as ações de telecomunicações, que lideraram os ganhos na véspera, após notícias envolvendo a espanhola Telefónica e seus parceiros italianos para se tornar acionista majoritária na controladora da Telecom Itália. O ranking foi encabeçado por Oi PN (-8,74%), sucedida por Oi ON (-7,96%), TIM ON (-5,14%), BR Malls ON (-3,39%) e OGX ON (-2,63%).

Em Wall Street, o índice Dow Jones encerrou em queda de 0,40%, o S&P 500 teve baixa de 0,27% e o Nasdaq recuou 0,19%.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.