Alerta da AIE sobre oferta faz petróleo subir

Agência Internacional de Energia  diz, em relatório, que oferta da commodity pode não acompanhar ritmo da demanda

12 de junho de 2013 | 08h12

Os contratos futuros de petróleo apagaram as perdas registradas nesta quarta-feira, 12, e passaram a operar em alta após a Agência Internacional de Energia (AIE) afirmar em relatório que a oferta da commodity poderá ter dificuldades de seguir o ritmo da demanda nos próximos meses.

Às 8h01 (de Brasília), o brent para julho negociado na ICE subia 0,41%, a US$ 103,38 por barril, enquanto o contrato equivalente na Nymex avançava 0,15%, para US$ 95,52 por barril.

Em documento mensal divulgado nesta quarta-feira, 12, a AIE previu que o volume de petróleo processado por refinarias deverá crescer 2,2 milhões de barris por dia entre o segundo e terceiro trimestres deste ano, para a média de 77 milhões de barris por dia.

"Se isso acontecer, representará o maior volume processado em qualquer trimestre já registrado", afirmou a AIE, acrescentando que a alta tanto excederia as expectativas de crescimento da demanda por produtos de petróleo quanto colocaria limites para a oferta - uma combinação que provavelmente provocaria aumento nos estoques de produtos e reduziria as margens de lucro das refinarias.

Nas primeiras sessões da semana, os preços do petróleo acumularam perdas em meio a preocupações com a queda potencial da demanda, em especial após a divulgação de dados econômicos fracos da China.

A AIE também reduziu sua previsão de expansão da demanda para 2013, repetindo o que fizeram ontem a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano.

Nesta quarta-feira, 12, os investidores ficarão atentos aos dados semanais de estoques de petróleo dos EUA, que o DoE deverá publicar às 11h30 (de Brasília). Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoAIE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.