Alpargatas usará empréstimo para ampliação

A Alpargatas (ações ALPA3 e ALPA4) vai usar R$ 112 milhões obtidos junto ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB) na melhoria de processos e na ampliação de produção das fábricas de Santa Rita e Campina Grande, ambas na Paraíba, onde são feitos os tênis das marcas Topper e Rainha e as sandálias havaianas, respectivamente. A informação é do diretor-financeiro da companhia, Francisco Céspede. No caso de Campina Grande, segundo Céspede, a produção deve crescer 40%. Será construída no local uma nova planta, elevando o tamanho do parque para 25 mil metros quadrados, o dobro do que a Alpargatas tem hoje. O objetivo é atender ao aumento da demanda externa e interna. Em 2005, as vendas de havaianas em volume cresceram 15%. A empresa espera intensificar também a comercialização dos calçados Topper no Japão, para onde começou a exportar no ano passado. O investimento na Paraíba, informou o executivo, faz parte do montante de R$ 140 milhões anunciado pela companhia para 2006 e as ampliações já tinham sido anunciadas em 1º de setembro do ano passado. A opção pelo empréstimo, mesmo diante da situação privilegiada de caixa - ao final de 2005 eram R$ 241 milhões - visa aproveitar as "condições competitivas" oferecidas pelo BNB. "Verificamos que nosso caixa permitia que nos alavancássemos mais", disse. Além disso, a intenção é garantir uma folga de capital de giro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.