Alta do petróleo puxa Petrobras e impulsiona Bovespa

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, subia nesta tarde, estimulado pelas altas dos principais indicadores acionários dos Estados Unidos (EUA) e pela alta do petróleo, que puxava Petrobras. A escolha do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como candidato à presidência pelo PSDB, também auxiliava no tom positivo. Petrobras, grande estrela do dia, subia 3,6% às 17h14, com volume de negócios de R$ 277 milhões. O barril do petróleo subiu 2,15% em Nova York hoje, cotado em US$ 63,10. Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), a segunda colocada em volume, movimentava apenas R$ 87,4 milhões, com alta menor, de 1,27%. Dois fatores travavam um ganho maior da mineradora. Um deles era a incerteza em torno das negociações dos preços do minério de ferro entre as principais fornecedoras mundiais e as empresas siderúrgicas chinesas, que também afetaram os preços da BHP e da Rio Tinto, na Bolsa de Sidney, na Austrália. Outro era o câmbio, que vem caindo constantemente e pressiona as receitas da Vale, que exporta seu produto. Cesp, Eletrobrás e Transmissão Paulista eram os demais destaques do dia e figuravam na lista de maiores altas do Ibovespa. O índice subia 1,84% às 17h33, próximo da máxima, de 1,88%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.