AmBev emitirá até R$ 2,6 bi em debêntures; intenção é pagar Quinsa

O conselho de administração da AmBev aprovou ontem o lançamento de até R$ 2,6 bilhões em debêntures, divididas em até 260.000 mil papéis não conversíveis, em duas séries, que serão distintas em prazo, data de vencimento e remuneração. O somatório das duas séries não poderá superar o valor total da emissão, observada a possibilidade de emissão de lote adicional e suplementar previstos pela Comissão de Valores Mobiliários.As debêntures da 1ª série terão prazo de três anos, contados da data de emissão; e as debêntures da 2ª série terão prazo de seis anos. Os títulos pagam juros trimestrais correspondentes a um porcentual da variação acumulada das taxas médias diárias dos Depósitos Interfinanceiros - DI de um dia, Extra-Grupo, a ser definido em reunião de conselho de administração que será realizada após o processo de coleta de intenções de investimento (book building) a ser conduzido pela instituição financeira intermediária. Não haverá amortizações programadas e todas as debêntures serão resgatadas pelo seu valor nominal unitário na data de vencimento.Os recursos obtidos pela AmBev com as emissão das Debêntures serão utilizados para pagamento da aquisição das ações de titularidade da Beverage Associates (BAC) Corp. de emissão da Quilmes Industrial S.A., conforme informado em fato relevante de 13 de abril de 2006. Alternativamente, se os recursos não forem utilizados total ou parcialmente para esse propósito, serão destinados à liquidação de dívidas financeiras de curto prazo, implementação de planos de investimento e capital de giro da emissora.Foi também aprovada, na mesma reunião de conselho de administração, que os diretores da companhia negociem e aprovem empréstimo ponte para cobrir eventual desembolso de valores relativos à operação da Quinsa, devidos anteriormente à conclusão da emissão de debêntures.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.