Ameaça de ataque à Síria derruba moedas de emergentes

A rupia da Índia e a lira da Turquia caíram a níveis recordes de baixa, com os investidores se afastando dos ativos de mercados emergentes diante da ameaça de uma intervenção militar dos EUA na Síria. Às 15h30 (de Brasília), a rupia estava cotada a 66,245 por dólar, depois de ter chegado a cair a 67,235 por dólar, de 64,30 por dólar no fechamento dos mercados asiáticos na segunda-feira. A lira turca estava cotada a 2.,0349 por dólar, de 21,9945 por dólar ontem, com mínima hoje em 2,0407 por dólar.

Agencia Estado

27 de agosto de 2013 | 16h41

Nas últimas semanas, as moedas dos países emergentes têm caído em meio às expectativas de que o Federal Reserve norte-americano comece a reduzir seu programa de compras de bônus em setembro. À medida que os juros dos títulos do Tesouro dos EUA passaram a subir, muitos investidores estão voltando para ativos norte-americanos e países como Índia e Turquia, que têm grandes déficits em conta corrente, estão sendo atingidos com mais intensidade, já que os investidores mostram preocupação com como esses países continuarão a financiar suas atividades com a retirada do investimento estrangeiro.

A alta dos preços do petróleo provocada pelos temores de um ataque dos EUA à Síria está exacerbando os temores quanto a países emergentes que além de grandes déficits em conta corrente têm uma grande dependência de importações de petróleo, entre eles a Índia e a Turquia. "Os investidores estão jogando a toalha. É a continuação da deterioração no cenário de sentimento em relação ao risco, com o elemento adicional da preocupação quanto ao contexto geopolítico no Oriente Médio. Todos esses são ingredientes que mantêm as moedas dos países emergentes pressionadas", comentou o estrategista Benoit Anne, do Société Générale.

No caso da Turquia, a queda da moeda foi exacerbada pela declaração do presidente do Banco Central do país, Erdem Basci, de que não vai elevar as taxas de juro.

A rupia da Indonésia, que, segundo o FMI, deverá ter um déficit em conta corrente de 3,3% do PIB neste ano, estava cotada há pouco a 10.905 por dólar, de 10.840 por dólar no fechamento da segunda-feira, depois de ter caído à mínima de 11.326 por dólar. Outras moedas de mercados emergentes também estão em queda, como o rand sul-africano e o real.

O florim da Hungria, por sua vez, está em queda forte diante do euro, depois de o banco central do país reduzir sua taxa básica de juros em 20 pontos-base, para 3,8%; economistas previam um corte menor, de 10 pontos-base. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.