Anac e Infraero irão investigar incidente da Gol ocorrido hoje

O presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, disse que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Infraero criaram uma comissão de investigação sobre o incidente com o avião da Gol que derrapou nesta manhã ao pousar no Aeroporto de Congonhas (SP). O brigadeiro disse que o prazo máximo de trabalho da comissão é de 90 dias, mas, considerando que não houve vítimas, Pereira acredita que em poucos dias haverá uma conclusão sobre o episódio.Ele reconheceu que, apesar da forte chuva que caía em São Paulo, o que teria contribuído para a derrapagem do avião, a pista tem problemas sérios de textura, o que facilita deslizamentos. O presidente da estatal lembrou que, em março deste ano, um avião da BRA também derrapou na mesma pista em Congonhas em um dia de forte chuva e, logo após as conclusões das investigações, a Infraero decidiu fazer licitação para contratar uma empresa com equipamentos mais modernos para as obras de recuperação da pista (retextualização), que começam hoje à noite.Segundo o brigadeiro, apesar de essas obras estarem previstas para começar em julho, o cronograma da Infraero está sendo cumprido. Ele creditou o atraso a problemas técnicos do processo de licitação e necessidade de priorizar, naquele momento (em julho), as obras no Aeroporto de Guarulhos.A empresa que venceu a licitação para as obras de Congonhas e fará a recuperação da pista a partir de hoje é a SPM Engenharia e o valor da obra é de R$ 2,5 milhões. Nesse orçamento, também estão incluídas obras semelhantes na pista principal de pouso e decolagem no Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek, que tem o mesmo tipo de problema de textura, segundo a Infraero.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2006 | 15h09

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.