Anbid apura atrasos na atualização de cotas de fundos

A Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) está preparando um levantamento sobre os fundos de investimento que eventualmente deixaram de divulgar a atualização diária das cotas durante a instabilidade do mercado nas últimas duas semanas, informou o superintendente geral da (Anbid), Luiz Kaufman. "Acreditamos que sejam casos bem pontuais", afirmou. Segundo ele, a Anbid analisa sistematicamente a observância das regras do código de auto-regulação do mercado pelos fundos de investimento. "Em momento de volatilidade, apertamos os controles. É o que estamos fazendo agora", disse. Se houver indício de irregularidade, a Anbid enviará uma carta ao fundo pedindo explicações. Se as explicações fornecidas não forem suficientes, a entidade solicitará a carteira do fundo, de acordo com Kaufman. "Então, caso seja identificada dicotomia entre o mandato do gestor e a performance do fundo, a Anbid abrirá processo que pode culminar em termo de compromisso, advertência, multa ou até suspensão do Selo Anbid", disse. Kaufman afirmou que cerca de 5 mil fundos enviam diariamente o valor de cotas à Anbid. Nesse envio, segundo ele, há uma média diária de falhas. A entidade está verificando, no momento, se o número de falhas na atualização das cotas neste período de instabilidade é maior do que a média histórica. Na semana passada, o presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Marcelo Trindade, também disse que tomará medidas contra os atrasos na atualização das cotas. Segundo ele, a autarquia recebeu reclamações de investidores sobre atrasos. Ele ressaltou, porém, que se trata de um problema bastante pontual e que não retrata a realidade da indústria. Para o presidente da CVM, em nenhuma hipótese os fundos podem deixar de enviar as informações ao órgão regulador, já que é uma exigência normativa. "Há o dever de informar quando se ganha e quando se perde", destacou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.