Aneel concede efeito suspensivo ao reajuste da Copel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) concedeu efeito suspensivo ao recurso apresentado pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) contra o reajuste médio de 35,05% nas tarifas da empresa aprovado pelo órgão regulador no último dia 24. A decisão da Aneel está publicada no Diário Oficial da União em despacho assinado pelo diretor-geral do órgão, Romeu Rufino.

LUCI RIBEIRO, Agência Estado

26 de junho de 2014 | 08h25

A Copel fez o pedido de suspensão temporária com a intenção de, após analisar as planilhas que fundamentaram o aumento autorizado pela Aneel, verificar se há espaço para a apresentação de uma contraproposta.

Segundo o presidente da companhia, Lindolfo Zimmer, afirmou ao Broadcast na terça-feira, quando o reajuste foi aprovado pela diretoria da Aneel, "o governador (do Estado do , Beto Richa), preocupado com a saúde financeira da empresa e o lado social dos consumidores, deseja entender melhor esses números. Então pedimos, por solicitação do governo, um efeito suspensivo da aplicação junto à Aneel para que possamos conhecer as planilhas". Os cálculos preliminares da Copel indicavam reajuste da ordem de 32,45%.

O despacho de Rufino ainda suspende os reajustes tarifários, também aprovados no último dia 24, das companhias Campolarguense de Energia (Cocel), Força e Luz do Oeste (CFLO) e da Cooperativa de Distribuição de Energia Elétrica de Arapoti (Ceral), todas supridas pela Copel.

Tudo o que sabemos sobre:
AneelreajusteCopel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.