Anglo American Platinum anuncia venda de ativos

A Anglo American Platinum, a maior produtora mundial de platina, informou hoje que planeja vender algumas de suas minas ao mesmo tempo em que anunciou que o lucro no primeiro semestre do ano caiu depois de uma queda de mais de um terço da produção devido a uma greve na África do Sul que durou cinco meses.

Agência Estado

21 de julho de 2014 | 08h33

"Tanto o tempo de gestão como o tempo de capital são finitos", informou a companhia em um comunicado. "Foi tomada a decisão de desfazer de alguns ativos, que serão melhor aproveitados nas mãos de um novo proprietário."

A Anglo American Platinum informou que vai vender as operações de mineração nas unidades de Union e Rustenburg, na África do Sul, e deixará a sua participação na joint venture Pandora. A mineradora relatou ainda que estuda se retirar das operações da unidade de Bokoni.

A empresa disse ainda que pretende manter as operações de fundição e refino nas unidades de Union e Rustenburg.

A notícia de desinvestimento vem depois de uma greve dos mineradores de platina na África do Sul, que durou cinco meses e foi a mais longa da história do país.

Como resultado dessa paralisação, a Anglo American Platinum, registrou um lucro líquido de 429 milhões de rands (US$ 39 milhões) nos seis primeiros meses do ano, ante 1,22 bilhão de rands no mesmo período de 2013.

Na mesma comparação, a empresa disse que a produção de platina refinada caiu de 1,18 milhão de onças no primeiro semestre de 2013 para 715 mil onças no primeiro semestre de 2014. As vendas de platina refinada recuaram para 1,04 milhão de onças, de 1,074 milhão de onças.

A estimativa é de que a companhia perder US$ 2 bilhões em receitas durante a greve, que também contribuiu para uma contração da economia do país nos primeiros meses do ano. A greve teve início no fim de janeiro e durou até 24 de junho. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.