Antes de Fed decidir, dólar cai ante principais rivais

O dólar caiu nesta terça-feira, 17, ante a maioria dos seus principais rivais, com traders procurando reduzir suas posições antes da importante decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), na tarde da quarta, 18. Apesar da maioria dos analistas esperar uma leve redução nas compras mensais de bônus promovidas pelo BC dos EUA, existe espaço para surpresas em ambas as direções.

Agencia Estado

17 de setembro de 2013 | 18h50

No fim da tarde em Nova York, o euro subia para US$ 1,3359, de US$ 1,3335 no fim da tarde da véspera. O dólar tinha leve alta para 99,12 ienes, de 99,06 ienes; a moeda comum europeia era negociada a 132,44 ienes, de 132,14 ienes. A libra esterlina operava estável, em US$ 1,5901. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de rivais, tinha queda para 73,440 pontos, de 73,541 pontos na segunda-feira.

Dos indicadores divulgados nos EUA, o de maior destaque foi a inflação ao consumidor. Tanto o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do país quanto seu núcleo, que exclui as categorias de alimentos e energia, subiram 0,1% em agosto ante julho, exatamente como esperado por analistas. Na comparação anual, o CPI teve alta de 1,5% em agosto, enquanto o núcleo subiu 1,8%, ficando abaixo da meta oficial de 2% do Fed. A leitura positiva da inflação fez alguns investidores revisarem suas apostas, já que isso significa que o BC dos EUA poderia manter os estímulos por mais tempo.

"Eu diria que o humor do mercado hoje foi apático. Nós estamos vendo menos posições dos dois lados. As pessoas não querem se arriscar, é muito difícil prever algo", disse Greg Anderson, diretor global de estratégia cambial da BMO Capital Markets. Ele aponta que, além da decisão do Fed, haverá uma coletiva de imprensa do presidente da instituição, Ben Bernanke, e o banco central vai atualizar suas projeções para a economia. A maioria dos analistas acredita que o Fed deva reduzir levemente suas compras mensais de bônus, atualmente em US$ 85 bilhões, com um corte entre US$ 10 bilhões e US$ 15 bilhões.

Enquanto isso, o dólar australiano subiu para US$ 0,9357, de US$ 0,9319 na segunda-feira. A ata da última reunião do Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês) deixou a porta aberta para um novo corte de juros no futuro, mas disse que não há uma intenção imediata de fazer um novo afrouxamento. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.