Antonio Ermírio espera um novo ministério ousado para o crescimento

O empresário Antonio Ermírio de Moraes, presidente do Conselho de Administração do Grupo Votorantim, espera que o próximo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, "tenha um ministério ousado para o crescimento", para o desenvolvimento efetivo do País e que permita um desempenho da economia superior a 5% ao ano. "Ousar com o crescimento, com a responsabilidade, é o que desejo para País", afirmou.Antonio Ermírio, que também é presidente executivo da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), defende um ministério desenvolvimentista. "Não dá para ficar crescendo abaixo dos 5% ao ano. Isso só faz mal para todos os brasileiros". Para tentar reduzir as desigualdades sociais, o melhor remédio é o crescimento, afirma ele.O empresário disse ficar frustrado quando um governante não consegue atingir o crescimento que o País necessita. E isto, frisa, tem ocorrido nos últimos anos, lembrando que o setor de cimento ficou estagnado por quase dez anos. "Isso é ruim, mostra que não realizamos obras, e que as pessoas não estão construindo suas casas".Para Ermírio de Moraes, o Brasil tem de buscar o desenvolvimento de forma prioritária, só assim vai ter condições de buscar a redução das desigualdades e de melhorar o sistema educacional do País. "Vamos ter de formar novos quadros de funcionários, mais aptos. E isso tem que ser feito a toque de caixa, daí a importância de melhorar o sistema educacional", afirmou.O empresário disse que também há necessidade de as empresas brasileiras buscarem mais competitividade e que não adianta ficar reclamando do câmbio. "É preciso que tenhamos cada vez mais produtos competitivos na área internacional. Se o câmbio não está a nosso favor, precisamos fazer com que fique, por isso a ordem é agilizar a produção e torná-la cada vez mais competitiva". Ele conta que para este ano, o Grupo Votorantim espera exportar US$ 1,8 bilhão ante US$ 1,6 bilhão do ano passado. "Estamos exportando produtos com valor agregado", afirma.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2006 | 08h50

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.