Anúncio de petrolífera nigeriana amplia alta do petróleo

Os contratos futuros do petróleo ampliaram a alta esta tarde, influenciados pela declaração de força maior na Nigerian National Petroleum Corporation (NNPC). A declaração de força maior significa que a empresa não poderá cumprir com seus compromissos com clientes porque está incapaz de produzir em conseqüência de motivos alheios a sua vontade. Os preços já vinham sustentados pela divulgação de queda maior que a prevista nos estoques de gasolina na semana passada nos EUA. No começo do dia, os contratos reagiram também em alta a informações de queda na produção em uma unidade da Eni SPa na Nigéria, depois de ataques. Às 13h44 (de Brasília), o contrato de setembro do petróleo subia 0,88%, para US$ 74,45 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex). Na plataforma ICE, de Londres, o contrato de setembro operava em alta de 1,53%, a US$ 74,40 o barril. O contrato de setembro da gasolina registrava ganho de 0,83%, a US$ 2,2825 o galão. As reservas de gasolina caíram 3,2 milhões de barris na semana passada, acima das projeções de queda de 280 mil. Os investidores especulam com os níveis das reservas de gasolina diante do pico de consumo, durante as férias no Hemisfério Norte. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.