Aos 26 anos, Gol muda de novo

Ele seria chamado de Angra. Mas um integrante do grupo que trabalhou no projeto olhou para o carro em teste e disse: "Marcamos um gol". Ninguém sabe exatamente de quem foi a frase, mas ela mudou os planos da Volkswagen. A empresa decidiu batizar de Gol o modelo lançado em 1980. Este ano ele completa 20 anos de liderança em vendas no Brasil. A montadora prepara sua quinta geração, mas antes o modelo atual deve passar por uma reestilização com mudanças mais tecnológicas do que estéticas.Entre as novidades estudadas para a nova versão, esperada para a segunda metade de 2008, está o câmbio semi-automático, novidade entre os modelos mais baratos à venda no Brasil. É uma transmissão que elimina o pedal e a troca de marchas, mas com menos sofisticação do que a automática, o que reduz o preço à metade.A tecnologia, já adotada em carros mais baratos na Europa, será desenvolvida no Brasil, caso os estudos de viabilidade sejam aprovados, diz o diretor de marketing da Volkswagen, Paulo Sérgio Kakinoff. Hoje, o câmbio automático encarece o preço do carro em cerca de R$ 5 mil. O semi-automático custaria perto de R$ 2,5 mil.Aos 26 anos, o Gol é um dos modelos de maior longevidade da indústria brasileira. Já passou por diversas mudanças ao longo dos anos, mas seu DNA (estrutura mecânica) é o mesmo da primeira versão. As mudanças mais importantes ocorreram na carroceria e na introdução de novas tecnologias, como a flex, que permite o abastecimento com álcool ou gasolina.A Volks não confirma quando chegará a quinta geração. "Antes disso vamos trabalhar muito no Geração IV", diz Kakinoff. Segundo fornecedores de autopeças, o projeto do novo Gol, totalmente diferente do atual, faz parte dos novos investimentos para a fábrica de Taubaté (SP), confirmados pela matriz alemã no mês passado.Em idade, o Gol perde para a Kombi, que a Volks produz desde 1957. A diferença é que a perua é praticamente a mesma de quase 50 anos atrás, com pequenas alterações. O Gol, além de quatro gerações - termo adotado quando um modelo é renovado - teve três reestilizações em 1984, 1987 e 1991. A mudança mais radical foi em 1994 quando, após 14 anos com design quadrado, passou a ter formas arredondadas.VendasNos sete meses deste ano, foram vendidas 102,4 mil unidades, o equivalente a 46% das vendas da Volkswagen. O segundo colocado, o Fiat Palio, vendeu 79,1 mil unidades. Nesse ritmo, dificilmente o Gol perde o posto de líder, completando 20 anos na posição. "O Gol nunca teve preço menor que os concorrentes diretos", lembra Kakinoff.Em 26 anos, o Gol acumula mais de 4 milhões de unidades vendidas. O Fusca, em 30 anos de Brasil, vendeu 3,1 milhões de unidades. Desenvolvido no Brasil, é o carro nacional mais exportado. Foram 600 mil unidades até agora.Também é líder de vendas na Argentina e está entre os primeiros no México, Uruguai, Paraguai e Chile. Países como Irã recebem todas as peças da Volks do Brasil para montagem local. Um importante mercado perdido este ano foi a China.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.