Após 4 dias de alta, dólar cai 0,48% e fecha a R$ 1,665

Dólar à vista negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) recuou 0,65% para R$ 1,6634

Silvana Rocha, da Agência Estado ,

24 de fevereiro de 2011 | 17h19

O dólar comercial interrompeu hoje quatro dias seguidos de alta e fechou em baixa de 0,48%, a R$ 1,665, no mercado interbancário de câmbio. O dólar à vista negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) recuou 0,65% para R$ 1,6634. O euro comercial caiu 0,13%, cotado a R$ 2,296 no fechamento das operações no interbancário.

A persistente queda do dólar no exterior e o fluxo cambial positivo no mercado doméstico levaram a moeda norte-americana a ser negociada em baixa ante o real durante todo o dia. A taxa mínima registrada hoje durante os negócios foi de R$ 1,663 por dólar, e a máxima, R$ 1,67.

Mas a violência na Líbia continua a provocar aversão ao risco nos mercados financeiros, o que dá fôlego aos preços do petróleo acima dos US$ 100 por barril no mercado futuro e eleva o temor sobre o impacto da crise atual na inflação e no ritmo de recuperação da economia global.

No mercado interno, o Banco Central fez dois leilões de compra de dólar à vista hoje, que tiveram efeito limitado sobre o comportamento da moeda. Após o primeiro leilão, no fim da manhã, no qual a taxa de corte das propostas foi de R$ 1,666, o dólar continuou em baixa e atingiu a mínima de R$ 1,663 (-0,60%) por volta das 13 horas. À tarde, o BC fez o segundo leilão, com taxa de corte de R$ 1,664.

A despeito das turbulências no Norte da África e Oriente Médio, o dólar perdeu o status de porto seguro para os investidores, que estão migrando desde a semana passada para o franco suíço, o euro e algumas moedas de países emergentes. A favor das moedas europeias pesa a expectativa de elevação dos juros na zona do euro e Reino Unido no curto prazo. Ante o real, o dólar vinha em alta há quatro dias, mas hoje devolveu quase todo o ganho acumulado nesse período, de 0,66%.

"Com a tendência de queda do dólar lá fora e a continuidade do fluxo de recursos estrangeiros favorável ao Brasil, os players locais voltaram a elevar suas posições vendidas na moeda neste mês ante o fim de janeiro e não se arriscam a assumir grandes posições, deixando a demanda pelo fluxo cambial líquido e pelas ofertas dos bancos quase que totalmente nas mãos do Banco Central, através dos leilões de compra", disse um operador de uma corretora.

Turismo

No câmbio turismo, o dólar fechou estável a R$ 1,773 na venda e R$ 1,633 na compra. O euro turismo subiu 0,54% para R$ 2,40 na venda e R$ 2,223 na compra.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuroBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.