Após dois pregões de queda, Bolsa tem dia de valorização e dólar cai

Mesmo com queda das bolsas no exterior, Bolsa opera positiva 

O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2014 | 12h44

Após ter sofrido dois pregões de queda, a Bovespa começou os negócios nesta quarta-feira, 12, em mais um dia de baixa, mas a tarde o clima já era positivo. A queda das bolsas no exterior pressiona os negócios na bolsa brasileira. Às 12h50, o Ibovespa subia 1,55%, aos 53.255 pontos. 

Em Nova York, o Dow Jones caía 0,31%, o Nasdaq perdia0,32% e o S&P 500 cedia 0,28%. Vale destacar que as bolsas em Nova York têmmostrado ganhos sucessivos nos últimos dias, o que pode chamar uma realização delucros nesta quarta-feira.O maior entrave para uma recuperação das açõesdomésticas continua na indefinição política, com o mercado à espera do nome donovos ministros, principalmente da Fazenda, e de sinais de mudança na conduçãoda política econômica. Por isso, neste último quesito, a proposta de mudança daLei de Diretrizes Orçamentárias para retirar da meta fiscal o limite deabatimento com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) edesonerações foi considerada um balde de água fria.

No horário, os papéis da Petrobrás subiam 3,04% e 3,07%, na PN eON, respectivamente. As vésperas da divulgação do balanço na sexta-feira, onoticiário em torno da estatal têm sido pesado. Além das denúncias de corrupçãona empresa, que agora também estão sendo investigadas pela justiçanorte-americana, alguns analistas consideraram decepcionantes os dados deprodução de outubro divulgados ontem, apesar de terem sido o maior patamarmensal de petróleo e gás da história da companhia.

O dólar mais fraco contra outras moedas importantes, como o iene, está ajudando a sustentar os contratos futuros de metais básicos nesta quarta-feira. Às 12h50, o dólar recuava 0,82%. (Com informações da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
bolsamercadodólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.