Após eleições, Bovespa encerra com ganho de 1,67%

A Bolsa comemorou com alta de 1,67% a ida do candidato tucano Geraldo Alckmin para o segundo turno das eleições presidenciais, uma possibilidade que não vinha sendo precificada, dado que o mercado estava posicionado para uma vitória já no primeiro turno do presidente Lula. Apesar dessa alta, que trouxe o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, para os 37.057 pontos, os investidores prevêem muita volatilidade este mês, até o dia 29, quando ocorre o segundo turno. Hoje, o índice oscilou entre a mínima estável e a máxima de +2,38%. O volume negociado ficou em R$ 2,35 bilhões. Na avaliação dos participantes do mercado, tanto Lula quanto Alckmin tendem a dar continuidade à atual política macroeconômica, mas admitem que uma possível vitória de Alckmin traz a esperança de crescimento maior da economia e de retomada do processo de privatização das empresas. Isso explica a expressiva valorização das ações relacionadas à infra-estrutura no pregão de hoje. Entre as maiores altas do Ibovespa ficaram a ação ordinária da CCR Rodovias, com alta de 6%; a ação preferencial da Votorantim Celulose e Papel, que avançou 4,86%; o papel ordinário e o preferencial classe B da Eletrobras, com ganhos de 4,79% e 4,78%, respectivamente; além da ação ordinária da Perdigão, que subiu 5,95%.

Agencia Estado,

02 de outubro de 2006 | 17h24

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.