Apple anuncia recall de baterias de notebooks

A Apple Computer anunciou que fará um recall de 1,8 milhão de baterias de íon de lítio usadas em seus notebooks. O anúncio foi feito depois que a empresa registrou nove casos de superaquecimento das baterias, que causaram queimaduras leves em dois usuários.Este é o segundo maior recall envolvendo produtos eletrônicos da história americana. O maior foi registrado na semana passada, quando a fabricante de computadores Dell anunciou o recolhimento de 4,1 milhões de baterias de notebooks. Tanto no caso da Apple quanto no da Dell, as baterias foram fabricadas pela Sony.A Apple vai recolher 1,1 milhão de baterias de notebooks vendidos nos Estados Unidos e 700 mil comercializadas fora do país, informou a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos Estados Unidos. Os dispositivos foram vendidos com laptops iBook G4 e PowerBook G4, entre outubro de 2003 e agosto deste ano, segundo a comissão. No Brasil, a Apple informou que os usuários destes micros podem ligar para o serviço Apple Line no telefone (11) 5503-0090 para saber se sua bateria está envolvida no recall. Se for o caso, a troca por uma bateria nova será feita sem custos para os usuários.No caso da Dell, foram registrados seis incidentes com baterias de notebooks nos Estados Unidos. O recall atinge 18% dos 22 milhões de notebooks vendidos pela empresa de abril de 2004 até o mês passado, com as marcas Latitude, Inspiron e Precision.De 2003 a 2005, a Comissão de Segurança de Produtos ao Consumidor dos EUA registrou 339 relatos envolvendo baterias de laptop e celular potencialmente defeituosas, disse o porta-voz Scott Wolfson. Os incidentes vão da fumaça ao incêndio de laptops. Ninguém foi gravemente ferido.As baterias de íon de lítio guardam grandes quantidades de energia num espaço pequeno. Isso as torna ideais para dispositivos portáteis devoradores de eletricidade. Elas também geram muito calor. Um defeito microscópico no interior da bateria pode fazer com que o calor saia do controle. Os laptops são particularmente vulneráveis porque os outros componentes também geram bastante calor.SonyA Sony informou que os programas de recall da Apple e da Dell custarão entre 20 bilhões e 30 bilhões de ienes (entre US$ 172 milhões e US$ 258 milhões). A empresa disse que não espera novos recolhimentos dessas baterias. Mas a empresa pode enfrentar problemas no Japão por causa dos programas.O governo japonês ordenou ontem à Sony e à Dell que façam uma investigação sobre o risco de incêndio nas baterias. As duas empresas têm prazo até o final do mês para apresentar o resultado da investigação, juntamente com recomendações para evitar futuros problemas, sob pena de multas estipuladas dentro da lei de defesa do consumidor do Japão.Em duas ocasiões diferentes, em outubro do ano passado e junho deste ano, baterias fabricadas pela Sony que equipavam notebooks Dell importados por japoneses se incendiaram, disse em comunicado o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão. Nos dois casos, ninguém se machucou, mas os computadores foram completamente queimados. Além do pedido à Dell e à Sony, o governo recomendou a outros fabricantes japoneses de aparelhos eletrônicos que examinem a segurança das baterias de seus computadores.A Sony disse que durante a produção das baterias, formadas por tiras de metal enroladas, podem ter ficado fragmentos soltos, com o risco de curto-circuito. As baterias dos notebooks Vaio, que também são fabricados pela Sony, não têm os mesmos problemas, disse a empresa. As informações são de agências internacionais.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2006 | 09h55

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.