Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Aracruz:Prejuízo com incêndio de floresta é de R$ 2,5 mi

A Aracruz, maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto, informa que os prejuízos decorrentes da queima de mais de 200 mil árvores, provocada nas últimas semanas por "índios apoiados por manifestantes", estão estimados em R$ 2,5 milhões. Conforme a companhia, a área devastada, de aproximadamente 170 hectares de plantios de eucalipto e florestas nativas, no norte do Espírito Santo, corresponde a 170 campos oficiais de futebol.De acordo com a Aracruz, durante sobrevôo da região no domingo, foi constatada a existência de uma "grande área com árvores de eucalipto em idade jovem cortadas, que fazia parte do contrato de fomento com os indígenas", o qual compreende 1.609 hectares. O eucalipto ali plantado pelos índios, que seria vendido à companhia, está sendo colhido antes do tempo e comercializado para terceiros, "numa quebra de contrato que representa um prejuízo adicional de R$ 6 milhões para a empresa".Para tentar recuperar essa perda, a companhia pretende ingressar com processo na Justiça. "São cortes e incêndios criminosos. Registramos queixa e tentamos proteger algumas áreas, como a que fica perto do viveiro, pois tememos uma escalada dessas ações violentas", diz no comunicado o gerente florestal regional da Aracruz, Marcelo Ambrogi. Conforme a empresa, os índios e manifestantes alegam que os atos são uma tentativa de pressionar o Ministério da Justiça a se posicionar favoravelmente à ampliação de 11 mil hectares da reserva indígena no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.