Arcelor diz que honrará compromissos assumidos com a Severstal

O presidente da Arcelor, Joseph Kinsch, afirmou que sem dúvida irá "cumprir todos os compromissos assumidos com a Severstal, incluindo a cláusula de ruptura de contrato". A Arcelor tentava uma fusão com a empresa russa para se defender da oferta da Mittal e, caso o acordo fracassasse, deveria pagar 140 milhões de euros por quebra. O acordo também pode ser desfeito se 50% dos acionistas da Arcelor votarem contra a proposta de fusão na assembléia geral.Kinsch e Lakshmi Mittal (presidente da companhia indiana) não sabiam informar quanto as duas companhias já gastaram na disputa. A Mittal, no entanto, tranqüilizou os acionistas que estavam preocupados com a possibilidade de a classificação de crédito da siderúrgica ser reduzida como resultado das dívidas assumidas com o acordo. O executivo se mostrou confiante de que a nova companhia irá ganhar o status de investment grade (grau de investimento) das agências de avaliação de crédito.O diretor financeiro da indiana, Aditya Mittal, afirmou ter ficado surpreso ao ver o quanto os administradores das duas companhias cooperaram para chegar a um consenso. Aditya também defendeu que os acionistas da Arcelor votem contra a proposta de fusão com a russa Severstal na assembléia extraordinária de acionistas, marcada em 30 de junho.Em resposta ao anúncio do acordo, a Severstal afirmou que irá revisar suas opções. Um pessoa próxima das três companhias disse à Dow Jones Newswires que o presidente da companhia, Alexei Mordashov, estaria preparando uma contra-oferta pela Arcelor, possivelmente com o apoio de dois dos maiores acionistas da companhia. Com informações da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.