Arcelor pede ao ISS que reconsidere crítica à recompra de ações

A Arcelor solicitou à Institutional Shareholder Services (ISS, na sigla em inglês), consultoria da área financeira, que reconsidere sua recomendação sobre o plano de recompra de ações do grupo siderúrgico, de 6,5 bilhões de euros. A ISS presta consultoria na área de governança corporativa para investidores institucionais, os aconselhando sobre como votar no caso de propostas apresentadas pela direção da empresa. Em carta endereçada à ISS e assinada pelo vice-presidente executivo de relações com o investidor da Arcelor, Martine Hue, o grupo declara: "Em relação a sua carta datada de 1º de junho, na qual vocês recomendaram que os acionistas da Arcelor votem contra a proposta de 6,5 bilhões de euros em recompra de ações a ser feita em assembléia extraordinária de 21 de junho, notamos que um dos principais motivos para seu parecer é a convicção do mercado de que a oferta de recompra da Arcelor é uma defesa direta contra a oferta da Mittal Steel". "O conselho da Arcelor tem deixado claro que sua proposta não tem relação com a oferta apresentada pela Mittal", afirma Hue, citando a excelente qualidade do balanço patrimonial e fluxo de caixa disponível da Arcelor. No documento, a siderúrgica com sede em Luxemburgo ressalta que "é política do conselho considerar com atenção qualquer crítica construtiva do mercado" e os temores com relação ao momento escolhido para a oferta de recompra também estão sendo levados em conta. "Considerando a decisão do conselho, pedimos que a ISS reconsidere sua recomendação sobre a proposta da Arcelor de recompra de ações", conclui a carta, acrescentando que o grupo está à disposição da ISS para qualquer informação complementar". As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.