Arcelor planeja compra de siderúrgicas na América Latina

A Arcelor Brasil programa a compra de unidades siderúrgicas na América Latina nos próximos anos. Segundo o vice-presidente da empresa, Leonardo Horta, a empresa deverá expandir em nove milhões de toneladas a capacidade anual de fabricação, sendo 7 milhões por meio de ampliações e 2 milhões relativas a aquisições, até 2011. Os investimentos programados para o período somam US$ 5 bilhões e incluem os valores que serão usados nas operações de compra de negócios. Ele não deu detalhes sobre possibilidades em avaliação. Limitou-se a comentar que o conceito de expansão na região se dará a partir do Brasil. Horta explicou que, encarada como região, a América Latina apresenta o segundo maior crescimento global no consumo de aço no mundo, atrás apenas da China. Segundo ele, o setor tem avançado a uma média de 6% ao ano nos últimos anos no Brasil. Para efeito de comparação, contudo, apenas em 2005 a produção chinesa de aço cresceu 24,2%. Na comparação com 2002, os números são ainda mais impressionantes: o setor de aço na China avançou 92%. Questionado sobre a queda de preços do aço, Horta explicou que "as perspectivas de médio e longo prazos continuam muito positivas para a siderurgia". Sobre os riscos de desaceleração da economia americana, o executivo comentou que, no mundo globalizado, sempre há "uma combinação" de fatores atuando na economia, logo depois de indicar que o crescimento da China tem sido forte e de citar a demanda latino-americana.

Agencia Estado,

25 de setembro de 2006 | 17h36

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.