Artigo: Considere o impacto do IR no resultado ao movimentar investimentos

Por Denise HillsO benefício das alíquotas menores ao longo do tempo tem sido subestimado pelos investidores. Poucos têm se organizado para usufruir do Imposto de Renda menor. Muitos acham que esse benefício não é atrativo ou que o prazo a decorrer é muito longo. Será?É importante que você tenha em mente que a diferença entre as alíquotas não é pequena. São 7,5 pontos porcentuais (22,5% a 15%), algo nada desprezível em termos de avaliação de retorno líquido.Veja um exemplo deste impacto considerando dois investidores bem sucedidos, porém com estilos diferentes de investir, nos últimos dois anos. Um girou seus investimentos trimestralmente e teve retorno bruto de 110% do Depósito Interfinanceiro (DI) em dois anos. O outro permaneceu em uma mesma carteira diversificada por dois anos e obteve retorno de 100% do DI.O estilo de investir de cada um gera alíquotas de impostos diferentes - o primeiro paga 22,5% de IR a cada troca de investimento, enquanto o segundo beneficia-se da alíquota menor de 15%. Em termos líquidos, o resultado foi o mesmo - 85% do DI. Ou seja, o IR consumiu todo o diferencial de retorno do primeiro investidor. Se ambos tivessem obtido o mesmo retorno bruto de 110% do DI, o segundo investidor teria 93% do DI líquido. Em tempos de grandes variações nos preços dos ativos financeiros - sejam elas positivas ou negativas - há sempre a tentação de estabelecer trocas de investimento muitas vezes desnecessárias ou tardias para o timing do mercado. Nem sempre é possível acertar o momento exato de trocar de investimento, seja por fatores de mercado, seja pela avaliação de todas as variáveis a serem consideradas nestas decisões. É mais racional e eficiente avaliar com cuidado a composição de investimentos ideal para suas necessidades, considerando opções como DI, renda fixa longa, multimercados e ações, separando recursos de curto prazo em alternativas mais conservadoras, como DI.A análise das opções de investimento deve privilegiar o desempenho de longo prazo e a consistência na entrega dos resultados, além de sua classificação para efeitos de tributação de IR. Com isso você terá melhores oportunidades de retorno, tanto pelo lado da diversificação quanto do retorno líquido. * Cálculos consideram juros de 16,5% ao ano para dois anos e ignoram o impacto do "come-cotas" semestral.Denise Hills é superintendente do BankBoston

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.