Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Artigo: Quando deixar a casa própria e entrar no aluguel

Por Martin Casals Iglesias O sonho da casa própria é tradicionalmente um dos mais presentes na mente de muitas famílias brasileiras. Entretanto, em função de uma peculiar combinação de eventos, tem surgido a oportunidade de bons negócios fazendo o caminho oposto à compra da casa própria, ou seja, desfazendo-se da moradia, investindo o dinheiro e morando de aluguel. Os eventos que têm feito com que este tipo de operação tenha sucesso são basicamente três. O primeiro é uma redução das taxas de aluguel, que tradicionalmente se encontravam em 1% sobre o valor do imóvel. Atualmente, é possível fechar um contrato de aluguel em torno de 0,8% a 0,6% do valor do imóvel. A seguir vem o preço dos imóveis, que na maior parte dos casos não tem apresentado uma substancial valorização. Por último, temos o alto nível das taxas de juros. O fato é que as taxas de juros vêm caindo nos últimos meses e devem cair ainda mais, levando a uma menor remuneração dos recursos provenientes da venda do imóvel. Há um ano era possível obter uma remuneração média mensal, líquida de impostos de aproximadamente 1,1% ao investir num fundo DI com taxa de administração de 1%. Atualmente, em função da queda das taxas a remuneração média do mesmo fundo caiu para 0,95%. Houve quem conseguiu enxergar uma oportunidade em investir recursos a 1,1% e pagar 0,8% a 0,6% pelo aluguel do imóvel obtendo um diferencial mensal entre 0,3% e 0,5%. Só que hoje o mesmo diferencial já se encontra ente 0,15% e 0,35%, podendo cair ainda mais. Ainda parece um bom negócio, certo? Na verdade, é preciso entender também que sobre o preço do imóvel recai uma parcela importante do risco da operação. Imagine que, após o termino do contrato de aluguel, o preço do imóvel tenha subido de tal forma que o valor investido, acrescido da remuneração e descontado os valores pagos, não seja suficiente para recomprar o mesmo imóvel, ou um imóvel semelhante. Se isso ocorrer, teria valido a pena manter o imóvel, pois a valorização do mesmo teria trazido mais benefícios que o ganho provocado pela diferença entre a aplicação e o custo do aluguel. Este evento tende a fazer com que a operação não seja boa quando o imóvel se encontra numa região com perspectivas de alta valorização. O resultado de muitas decisões econômicas depende de variáveis que só serão conhecidas no futuro. Deixar a casa própria e entrar no aluguel é uma delas. Avalie com cuidado cada uma das variáveis citadas e tenha em mente que uma operação como esta não está isenta de riscos. Martin Casals Iglesias é gerente-sênior de Wealth Management Services do BankBoston

Agencia Estado,

19 de maio de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
renda fixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.