Ásia: bolsas fecham em alta com expectativa sobre China

Na China, o índice Xangai Composto avançou 0,18% e o índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, valorizou 0,49%

Agência Estado

15 de julho de 2014 | 10h01

As bolsas da região da Ásia e do Pacífico fecharam em alta nesta terça-feira, acompanhando os ganhos dos mercados de Nova York ontem e à espera do anúncio do Produto Interno Bruto (PIB) da China no segundo trimestre.

As ações em Wall Street terminaram a segunda-feira com ganhos, depois de um balanço positivo do Citigroup. O banco registrou um lucro líquido melhor do que o esperado por analistas, apesar da queda no resultado geral e de um encargo de US$ 7 bilhões devido a hipotecas com problemas.

A expectativa também é grande por uma série de indicadores. Para a Ásia, o mais significativo é o crescimento da economia chinesa no segundo trimestre, que sai hoje, às 23h (horário de Brasília). A previsão é de que o PIB do país aumente 7,4% ante o segundo trimestre de 2013, em linha com o observado entre janeiro e março.

Na China, o índice Xangai Composto avançou 0,18% e fechou a 2.070,36 pontos, na máxima, impulsionado pelos números de crédito melhores do que o previsto em junho. O Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) informou que as instituições financeiras domésticas emitiram 1,08 trilhão de yuans (US$ 174 bilhões) em novos empréstimos no mês passado, acima do previsto pelo mercado. Já o índice Shenzen Composto caiu 0,26%, a 4.908,27 pontos, pressionado por uma onda de vendas de ações de baixa capitalização devido a preocupações com o crescimento dos lucros.

O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, se valorizou 0,49%, a 23.459,96 pontos. As ações da fabricante de smartphones ZTE subiram 8,38% depois que a companhia elevou a projeção de lucros por causa de forte demanda por celulares 4G. O índice Kospi, da Bolsa de Seul, subiu 0,94%, para 2.012,72 pontos.

Em Sidney, o índice S&P/ASX 200 terminou estável a 5.511,30 pontos, influenciado pelo desempenho do setor bancário depois que uma investigação no sistema financeiro apoiada pelo governo despertou preocupações sobre a adequação de capital dos bancos "sistemicamente importantes". O Commonwealth Bank of Australia perdeu 0,26% e o Australia & New Zealand Banking Group cedeu 0,92%. Entre as mineradoras, a Newcrest Mining caiu 0,63%, pressionada pela maior queda em quase sete meses do ouro. Mas a Rio Tinto subiu 1,22%, depois que o minério de ferro aumentou 1% no spot. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ásiabolsasmercado financeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.