Ásia tem alta após pacote de ajuda na Europa; Tóquio (1,6%) e Hong Kong (1,3%) avançam

Os mercados da Ásia tiveram bons resultados nesta sexta-feira. Os ganhos nas Bolsas da China e Japão e o acordo entre líderes da zona do euro de que um pacote de ajuda deverá reduzir os problemas fiscais da Grécia estimularam os investimentos.

Ricardo Criez e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

26 de março de 2010 | 07h19

 

A Bolsa de Tóquio apresentou ganhos sólidos, com o índice Nikkei 225 fechando no nível mais alto desde o início de outubro de 2008, ajudado pela seguida desvalorização do iene e pelo abrandamento das preocupações com a dívida da Grécia. O Nikkei 225 teve um ganho de 167,52 pontos, ou 1,6%, e fechou aos 10.996,37 pontos.

Este foi o caso da Bolsa de Hong Kong, que fechou acima dos 21 mil pontos. O índice Hang Seng subiu 274,56 pontos, ou 1,3%, e terminou aos 21.053,11 pontos - na semana, contudo, o índice encerrou com queda de 1,5%.

A presença de investidores em busca de ofertas de ocasião e os fortes balanços do setor bancário alavancaram as Bolsas da China. O índice Xangai Composto ganhou 1,3% e encerrou aos 3.059,72 pontos. O Shenzhen Composto subiu 0,9% e terminou aos 1.186,23 pontos.

O yuan ficou estável ante o dólar ao final da sessão, recuperando-se de declínio ao início do período uma vez que a divisa americana caiu ante o euro e o iene no mercado internacional. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8270 yuans, de 6,8271 yuans do fechamento de quinta-feira. O Banco Popular da China fixou a paridade central em 6,8268, de 6,8266 ontem.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, teve moderada alta, após o banco central taiwanês informar que não elevará a taxa de reserva bancária. O índice Taiwan Weighted subiu 0,5% e encerrou aos 7.876,86 pontos.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi da Bolsa de Seul teve alta de 0,6%, e fechou aos 1.697,72 pontos, após negociações mais fracas na parte da manhã por conta de interpretações confusas sobre o eventual socorro da UE e do FMI à Grécia.

Na Austrália, o índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney reverteu perdas iniciais e fechou em alta de 0,2%, aos 4.896,9 pontos.

Na Bolsa de Manila, nas Filipinas, o índice PSE teve alta de 0,3% e fechou aos 3.180,68 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve alta em linha com a maioria dos mercados asiáticos uma vez que os investidores retornaram dados os preços atrativos após recentes quedas. O índice Straits Times subiu 0,6% e fechou aos 2.906,28 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, ganhou 0,5% e fechou aos 2.813,08 pontos, com compras ao final da sessão por parte de fundos estrangeiros de blue chips de mineradoras na expectativa de fortes resultados no primeiro trimestre.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, estendeu as perdas pela segunda sessão seguida, tendo baixa de 0,7% e fechando aos 778,86 pontos, com redução do fluxo de capitais e realizações de lucros.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, somou 0,2 e fechou aos 1.315,14 pontos, com ações do setor imobiliário liderando as altas na expectativa de que a aceleração da economia local impulsione a demanda por residências. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.