Ata do BOJ provoca valorização dos títulos do governo

Declarações, contidas na ata da reunião de 17 e 18 de fevereiro do comitê divulgada nesta terça-feira, provocaram a valorização dos bônus do governo japonês

Hélio Barboza, da Agência Estado,

23 de março de 2010 | 08h42

Vários membros do comitê de política monetária do Banco do Japão (BOJ, banco central do país) disseram na reunião do grupo em fevereiro que as recentes oscilações nos preços ao consumidor "foram ligeiramente" mais fracas do que o banco central tinha previsto em janeiro, indicando que as preocupações com a deflação já estavam em alta um mês antes que o BOJ tomasse suas últimas medidas de alívio monetário.

 

As declarações, contidas na ata da reunião de 17 e 18 de fevereiro do comitê divulgada nesta terça-feira, provocaram a valorização dos bônus do governo japonês (JGB, na sigla em inglês), ante a avaliação de que as autoridades do BOJ podem estar tendendo mais do que se pensava à manutenção das baixas taxas de juros. Porém, alguns analistas disseram que não está claro se os preços ao consumidor podem continuar a cair a uma taxa que obrigue o BOJ a afrouxar ainda mais o crédito nos próximos meses.

 

Na semana passada, o comitê de política monetária decidiu por 5 votos a 2 aumentar de 10 trilhões de ienes para 20 trilhões de ienes o montante de seus empréstimos de três meses às instituições financeiras, à taxa fixa de 0,1%.

 

De acordo com a ata, alguns membros do comitê achavam que a deflação poderia ser maior, porque a recente diminuição na diferença entre oferta e demanda ainda não estaria bem refletida nos preços e também porque as expectativas de preço de médio e longo prazos podiam ter virado para baixo. A mediana das previsões do conselho apontava que o núcleo do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) cairia 1,5% no ano fiscal que se encerra no dia 31 de março.

 

O núcleo nacional do CPI, que exclui os preços voláteis dos alimentos frescos, havia caído por 11 meses seguidos até janeiro, quando recuou 1,3% na comparação com um ano antes. Em vários meses do ano passado, o declínio havia sido em torno de 2%.

 

O valor dos títulos do governo caiu depois que o BOJ anunciou suas medidas de política monetária na semana passada, com a decepção provocada pelo fato de que o banco não tomou mais medidas de alívio monetário. Mas as últimas declarações levaram à valorização dos JGBs, graças à especulação de que o BOJ ainda pode flexibilizar mais sua política. O yield (rendimento para o investidor) dos títulos caiu de 1,355% na abertura para 1,345% à tarde. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BOJbônus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.