Baht tailandês cai e pressiona demais moedas da região

O baht (moeda da Tailândia) caiu forte hoje, arrastando outras moedas asiáticas. A desvalorização reflete as incertezas provocadas pelo golpe militar no país e pelas declarações dos militares de convocação de eleições mais tarde do que o inicialmente agendado. Mas com o fechamento dos bancos e das bolsas locais, por ordem dos militares, o movimento foi moderado. Especialistas acreditam que o efeito do golpe de Estado deverá ter repercussão maior amanhã. Entre as moedas mais atingidas pela retração do baht estão o dólar de Cingapura, o ringgit da Malásia e o peso das Filipinas. Por enquanto, os especialistas descartam contágio mais amplo dos eventos na Tailândia. O peso das Filipinas, por exemplo, tende a sofrer pressão maior, gerando comparações com o atual governo do país, dizem participantes. No fechamento da sessão asiática, o dólar era negociado a 37,865 baht, acima de 37,28 baht no dia anterior. Operadores disseram que a liquidez no mercado à vista do dólar/baht foi limitada pelo fechamento dos bancos, ordenada pelos militares na Tailândia, o que ajudou a manter certa estabilidade no câmbio. As bolsas também ficaram fechadas hoje. Mas o mercado futuro mostrou o baht fortemente pressionado. O comandante-geral do exército, general Sondhi Boonyaratkalin, disse que os militares pretendem entregar o poder a um governo provisório em duas semanas, mas que as eleições gerais não deverão acontecer até outubro de 2007. A maior parte dos investidores disse que o apoio do rei da Tailândia ao golpe e o anúncio de novas eleições para restituir a democracia serão fundamentais para determinar a recuperação da moeda. A queda do baht implica uma total reviravolta na tendência da moeda até ontem, cujo status era de melhor retorno este ano entre as demais moedas na região. O baht acumulava valorização de 8,9% contra o dólar desde 1º de janeiro. "Prevemos vendas maciças das ações tailandesas, especialmente das companhias relacionadas ao primeiro-ministro deposto, amanhã, quando as bolsas voltarem a operar. Esperamos que os investidores estrangeiros e locais utilizem os recursos provenientes das vendas de ações comprem dólares, o que implica potencial pressão sobre o baht", disse Tim Condon, economista-chefe para Ásia do ING em Cingapura. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.