Balanços de bancos decepcionam e NY fecha em baixa

Dados fracos sobre o mercado de moradia dos EUA e a decepção dos investidores com os balanços de bancos como o Goldman Sachs e o Wells Fargo pesaram nesta quarta-feira sobre as bolsas norte-americanas, provocando queda acentuada nos índices Nasdaq e S&P-500 e impulsionando os preços dos títulos do Tesouro americano (Treasuries).

GUSTAVO NICOLETTA, Agencia Estado

19 de janeiro de 2011 | 19h53

O Dow Jones caiu 12,64 pontos, ou 0,11%, para 11.825,29 pontos. Entre os componentes do índice, as ações da American Express recuaram 2,44% após a companhia divulgar estimativas de lucro para o quarto trimestre que ficaram abaixo das previsões de Wall Street e afirmar que cortará cerca de 550 funcionários. O Bank of America fechou em baixa de 4,20%. No lado positivo, a IBM subiu 3,35 depois de anunciar que seu lucro praticamente dobrou no segundo trimestre fiscal em relação a igual período do ano anterior, com aumento de 50% na receita.

O Nasdaq recuou 40,49 pontos, ou 1,46%, para 2.725,36 pontos. A Apple, que faz parte do índice, caiu 0,65% mesmo depois de ter anunciado um lucro do primeiro trimestre fiscal quase duas vezes maior que o registrado um ano antes. O S&P-500 perdeu 13,10 pontos, ou 1,01%, para 1.281,92 pontos, marcando o declínio mais acentuado numa única sessão desde 23 de novembro.

"Isso era esperado. Nos últimos quatro meses, o mercado de ações praticamente só subiu", disse Bob Auer, gerente de carteiras de investimento do Auer Growth Fund. "Quatro meses sem qualquer abalo? Acho que isso não é ruim."

O Goldman Sachs divulgou que seu lucro no quarto trimestre de 2010 encolheu 52% em relação a igual período do ano anterior. O resultado ficou levemente acima das estimativas de analistas, mas a receita, de US$ 8,64 bilhões, decepcionou. As ações do banco fecharam em baixa de 4,69%. O Morgan Stanley, concorrente que divulga balanço amanhã, caiu 3,48%.

O Wells Fargo fechou em baixa de 2,03% depois de divulgar um lucro que veio em linha com as previsões de analistas. O JPMorgan Chase caiu 2,32% e o Citigroup 0,83%.

Para o estrategista de investimentos Mikel Keifer, da Jurika, Mills & Keifer, "quando você entra na temporada de balanços com uma série de ganhos como a que tivemos, as expectativas ficam muito elevadas. Não importa o que as empresas divulgarem porque vai ser decepcionante".

Segundo ele, apesar da fraqueza nas ações do setor financeiro, os resultados dos bancos trouxeram alguns sinais encorajadores. "Parece que o crédito está melhorando. Se os bancos estão confortáveis com suas folhas de balanço e começaram a emprestar, isso será melhor para a economia e para os próprios bancos", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqbancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.