Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão
Imagem Coluna do Broadcast
Colunista
Coluna do Broadcast
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Balanços do terceiro trimestre serão ofuscados pelas eleições

Período de divulgação dos resultados vai acontecer no segundo turno da eleição presidencial, que deve ter influência maior; mercado financeiro se mantém otimista sobre o desempenho do Ibovespa na semana de 24 a 28 de setembro

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

22 Setembro 2018 | 04h00

O terceiro trimestre está a uma semana de terminar, e os analistas começam a projetar quais setores ou empresas devem apresentar melhores números. No entanto, os profissionais afirmam que os efeitos nas ações devem ser poucos, já que durante o período de divulgação dos balanços vai acontecer o segundo turno da eleição presidencial, que deve ter influência maior na Bolsa de maneira geral.

Na visão dos analistas, os melhores resultados do período entre julho e setembro devem vir de empresas produtoras de commodities, entre elas Petrobrás e Vale. O setor financeiro também deve apresentar números sólidos, na visão dos profissionais.

“O setor bancário tende a ter efeito positivo da redução da inadimplência nos resultados e exportadoras devem se beneficiar da valorização do dólar. Outro efeito positivo advém das commodities, seja minério de ferro ou petróleo que subiram ao longo do trimestre e tendem a beneficiar as blue chips Vale e Petrobrás”, afirma Vitor Suzaki, da Lerosa Investimentos.

A Magliano também espera bons resultados de bancos, seguradoras, além de Petrobrás e Vale. “Entretanto, achamos que a temporada de resultados do terceiro trimestre terá impacto relativamente menor sobre as ações uma vez que investidores estão focados no tema eleições e como o resultado delas afetará setores e empresas específicas”, diz a corretora.

O Santander também faz a ressalva de que o desempenho das ações será impactado mais pelas eleições do que pelos resultados apresentados no terceiro trimestre. Os analistas do banco acreditam, no entanto, que os balanços serão parecidos com o segundo trimestre, com destaque para os setores de papel e celulose, mineração e siderurgia e petroquímico.

Em relação à carteira recomendada para a semana, as corretoras se baseiam principalmente nos múltiplos dos papéis, apontando oportunidades de compra. A Magliano, por exemplo, incluiu Comgás PNA na carteira, ressaltando que a ação acumula queda de 16,5% no ano e de aproximadamente 4,3% em setembro. O retorno de dividendos é de 9%, o que torna uma boa opção defensiva para este momento de volatilidade. Outra ação que entrou na carteira da Magliano foi Ambev ON, enquanto saíram BRF ON e Petrobrás PN. Ainda fazem parte da carteira BB Seguridade ON, Bradesco PN e Cemig PN.

Outra opção presente em várias carteiras é Bradesco PN. A Terra Investimentos ressalta que o banco tem caixa elevado, boa liquidez e qualidade do capital. Além disso, o múltiplo também é considerado atrativo. A corretora trocou quase toda a sua carteira em relação à semana passada, mantendo somente Ambev ON. Nesta semana entraram, além de Bradesco, EcoRodovias ON, Lojas Americanas PN e BRMalls ON, e saíram Gerdau PN, Copel PNB, Localiza ON e Embraer ON.

As exportadoras também estão bastante presentes nas carteiras recomendadas, com destaques para Suzano ON, Fibria ON e Weg ON. O dólar em alta e a perspectiva de resultados positivos no terceiro trimestre justificam as recomendações.

Nesta semana, duas corretoras estreiam na Top Picks. A Socopa recomenda Suzano ON, Equatorial ON, Ambev ON, Hypera ON e IRB Brasil Re ON. Já a Nova Futura indica Weg ON, Petrobrás PN, Lojas Americanas PN, Gerdau PN e Minerva ON.

 

Mercado financeiro renova otimismo com Bolsa

O mercado financeiro se mantém otimista sobre o desempenho do Ibovespa na semana que vem (24 a 28 de setembro), mostra o Termômetro Broadcast Bolsa. Entre 35 participantes, 57,14% veem ganho para o índice; 20,00%, estabilidade; e 22,86%, queda.

No levantamento da semana passada, 52,63% esperavam alta para a Bolsa nesta semana; 21,05%, estabilidade; e 26,32%, baixa. O Ibovespa fechou a semana com valorização semanal de 5,32%. O Termômetro Broadcast Bolsa tem por objetivo captar o sentimento de operadores, analistas e gestores para o comportamento do Ibovespa na semana seguinte.

O noticiário político seguirá como principal foco do investidor, em especial as pesquisas de intenção de voto para presidente. O Ibope registrou dois levantamentos nacionais, com previsão de publicação nos dias 24 e 25, além de outros estaduais que também trarão intenções de voto para presidente. Será realizado ainda debate entre os presidenciáveis, dia 26. 

A próxima semana, que encerra o terceiro trimestre, terá como destaque na agenda local a divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que decidiu manter a Selic em 6,50% e trouxe um comunicado considerado de tom conservador pelo mercado. Dois dias depois, na quinta-feira, o Banco Central publicará o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) com a atualização de uma série de projeções macroeconômicas. No mesmo dia, depois do RTI, haverá entrevista coletiva do presidente da instituição, Ilan Goldfajn, na qual tratará da condução da política monetária. Entre os indicadores, serão divulgados dados fiscais e do setor externo ao longo da semana.

No exterior, o ponto alto é a decisão de política monetária do Federal Reserve, nos Estados Unidos, na quarta-feira. A expectativa é de alta para o juro norte-americano, que hoje está entre 1,75% a 2%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.