Balanços e indicadores impulsionam alta da Bolsa de Nova York

Gasto do consumidor americano cresceu 0,7% em dezembro, acima da previsão, de expansão de 0,5%, enquanto a ExxonMobil divulgou que seu lucro líquido no quarto trimestre saltou 53%, para US$ 1,85 por ação

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado ,

31 de janeiro de 2011 | 12h59

Os protestos no Egito colocam os mercados internacionais em estado de tensão hoje. Nos Estados Unidos, as bolsas abriram o dia em alta, mas próximas da estabilidade, apoiadas nos balanços de várias empresas no país. Os temores sobre um possível fechamento do Canal de Suez aumentam a pressão sobre o petróleo. Às 15h46 (horário de Brasília) o índice Dow Jones subia 0,45%, o Nasdaq tinha alta de 0,51% e o S&P-500 registrava alta de 0,70%.

Enquanto em Davos, na Suíça, ministros de Finanças europeus avaliaram que o pior da crise da zona do euro já passou, no Egito a situação se agrava a cada dia. A agência Moody''s rebaixou o rating (classificação de risco) soberano do Egito de Ba2 para Ba1, com perspectiva negativa. Bancos e mercado de ações no país seguem fechados.

Os egípcios protestam contra três décadas sob o comando do presidente Hosni Mubarak, de 82 anos. As manifestações já deixaram mais de 100 pessoas mortas e 1.000 feridas. Para o analista da consultoria Stratfor George Friedman, Mubarak falhou nos planos de sucessão, que colocaria seu filho em seu lugar quando ele morresse. "Uma vez que todos sabiam que haveria instabilidade quando ele morresse, houve os que acharam que valeria a pena agir antes de sua morte", disse.

Nos Estados Unidos, o gasto do consumidor cresceu 0,7% em dezembro do ano passado, acima da previsão, de alta de 0,5%, enquanto a renda pessoal avançou 0,4%, em linha com o esperado. Em novembro, o aumento foi de 0,3%. O gasto do consumidor responde por 70% do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. Amanhã saem os dados das montadoras sobre as vendas de automóveis em janeiro e, na sexta-feira, os dados do nível de emprego no país (payroll).

Entre as maiores empresas listas nas Bolsas de Nova York, a ExxonMobil divulgou que seu lucro líquido no quarto trimestre do ano passado saltou 53%, para US$ 1,85 por ação, de US$ 1,27 por ação no mesmo período do ano anterior. Já a Honda teve queda de 40% no lucro líquido de outubro a dezembro, mas o lucro operacional no trimestre subiu e a montadora melhorou as projeções para o ano.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsasNYEgitobalanços

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.