Ng Han Guan/AP
Ng Han Guan/AP

Banco central da China injeta mais 60 bilhões de yuans no sistema bancário

Na quarta-feira, o PBoC já havia colocado 140 bilhões de yuans no mercado; objetivo é compensar os efeitos de saídas de capital

Dow Jones

28 de agosto de 2015 | 10h16

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) injetou nesta sexta-feira, 28, 60 bilhões de yuans (US$ 9,4 bilhões) no sistema bancário, por meio de uma operação de liquidez de curto prazo. O PboC informou que o crédito é de sete dias, com taxa de juro a 2,35%.

O BC chinês vem injetando recursos no setor bancário para compensar os efeitos de persistentes saídas de capital e manter níveis de liquidez adequados.

Na quarta-feira, o PBoC injetou outros 140 bilhões de yuans por seis dias, com juro a 2,30%, na primeira operação de curto prazo desde janeiro. 

O PBoC também estipulou nesta sexta-feira a taxa de paridade da moeda em 6,3986 yuans por dólar, ante 6,4085 yuans/dólar na sessão anterior. A moeda chinesa pode variar até 2% diariamente, para cima ou para baixo, em relação à taxa de paridade. 

Em meados de agosto, o BC chinês anunciou uma forte desvalorização do yuan e decidiu que a taxa de câmbio passaria a ser mais determinada pelas forças de mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
economiaChinabancosmercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.