Banco Central divulga superávit primário de maio

São Paulo, 28 de junho - Em um período turbulento para os países emergentes, que são os primeiros a sofrer caso os investidores resolvam "fugir para a qualidade" (trocar seus ativos de risco por ativos mais seguros), o dado sobre o superávit primário do Brasil ganha importância. Com esse número, o País pode indicar ao mercado que está fazendo sua parte, ao juntar dinheiro para pagar suas dívidas em dia. No mercado externo, o destaque fica por conta do início da reunião do Comitê de Mercado Aberto Federal (Fomc, o equivalente dos EUA ao nosso Copom). A reunião termina amanhã. BC/Superávit - O Banco Central (BC) divulga o superávit primário (receitas menos despesas, excluindo gastos com juros) brasileiro do mês de maio. Em abril, foi registrado superávit de R$ 19,4 bilhões. BC/Dívida - O Banco Central (BC) divulga a relação dívida/PIB do Brasil em maio. No mês anterior, a dívida pública representou 51% do Produto Interno Bruto. EUA/Fomc - O Comitê de Mercado Aberto Federal (Fomc), do banco central dos EUA, inicia sua reunião de dois dias, ao fim da qual divulgará a taxa de juros básica da economia norte-americana, que vigorará até a reunião seguinte, de 8 de agosto. EUA/Petróleo - O American Petroleum Institute (API) e o Departamento de Energia dos EUA (DoE) divulgam, às 11h30, suas estimativas sobre o nível dos estoques norte-americanos de petróleo bruto e derivados na semana até 23 de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.