Banco Central do Japão suspende política de juro zero

O Banco Central do Japão (BOJ, na sigla em inglês) anunciou hoje o fim de sua política monetária de relaxamento que ao longo dos últimos cinco anos utilizou para combater a deflação galopante no país. O comitê de política monetária do banco emissor decidiu, por maioria, ao encerrar hoje sua reunião de dois dias, que a instituição financeira volta à política convencional de controle dos mercados por meio de aumentos ou quedas das taxas de juros. Desde março de 2001, o BOJ empregou uma política monetária que mantinha as taxas de juros próximas a zero para frear a deflação e estabilizar o sistema financeiro. Com esta política, a autoridade monetária fornecia liquidez ao mercado utilizando balanços em conta corrente como ferramentas de ajuste fiscal, que permitiam manter as taxas de juros baixas a curto prazo. Por enquanto, o BOJ manterá as taxas de juros próximas a zero, mas dará início à transição dessa política destinada a combater a deflação. A instituição disse também que introduzirá um novo marco referente ao Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês), que passará a ser fundamental para testar a evolução dessa política monetária. No pregão de ontem da Bolsa de Tóquio, os operadores davam como certa a possibilidade de o banco central colocar fim em breve à política de juros próximos a zero, embora o primeiro-ministro, Junichiro Koizumi, tenha solicitado na semana passada prudência diante de uma reforma semelhante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.