Banco recomenda ações da operadora de rodovias OHL

O banco de investimentos Bear Stearns acredita que as ações da operadora de rodovias OHL Brasil terão desempenho superior à média do mercado e por isso recomenda a compra dos papéis. Segundo cálculo do banco, cada ação da empresa valerá R$ 38,70 daqui a um ano. O valor representa potencial de alta de 41,8% em relação ao fechamento da ação ontem na Bovespa (R$ 27,29). Em relatório, o banco acrescenta que essa avaliação inclui a compra da ViaNorte. No mesmo setor de atuação, a Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) terá, segundo o banco, desempenho na média do mercado. Em um ano, cada ação da empresa deve valer, prevê o Bear Stearns, R$ 28,10, valor 23,4% superior ao do fechamento de ontem (R$ 22,77). A analista Sara Delfim afirma que entre os principais fatores que entraram na conta desses valores, em sua avaliação, estão: "a queda em nossa previsão do prêmio de risco de 700 pontos-base para 550 pontos-base e a realinhamento do modelo de fluxo de caixa descontado, adotando 2007 como nosso ano base". Para o final de 2006, as cotações fixadas pelo Bear Stearns para as ações da OHL e da CCR são R$ 30,7 e R$ 21,7, respectivamente. "As estimativas consideram imprevistos no campo regulatório, como o adiamento da Fase II do Programa Federal de Concessões de Estradas, além do impacto da desaceleração significativa da economia no crescimento futuro do tráfego".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.