Banco suiço eleva previsões para preços de metais

O banco de investimentos suíço UBS elevou acentuadamente suas projeções para os preços médios de metais básicos e preciosos neste ano e no próximo. Na opinião da instituição, os fluxos de recursos de fundos de investimento para as commodities foram mais vigorosos que o esperado, sustentados pelos fundamentos fortes e por um questionamento generalizado do valor do dólar no mercado internacional. Essa perspectiva é positiva para ações de empresas como Vale do Rio Doce e Caemi. Do lado da oferta, dificuldades relacionadas ao clima na Austrália reduziram os números de produção da Rio Tinto referentes ao primeiro trimestre, enquanto as greves impactaram a produção de cobre, e turbulências políticas temporariamente paralisaram um projeto da Inco Ltd. em Nova Caledônia. Além disso, baixos teores resultaram em expectativas menores de produção para a mina Grasberg, na Indonésia, segundo o UBS. A previsão média para o preço do cobre em 2006 cresceu 35% na comparação com a estimativa de janeiro, para 264,7 cents de dólar por libra peso, ou US$ 5.836 a tonelada. Para 2007, a previsão aumentou 71%, para 265,0 cents de dólar por libra peso, ou US$ 5.842 a tonelada. Na Bovespa, as empresas Caraiba, Eluma, Paranapanema e SAM sofrem impacto com o preço do metal. Para o alumínio, o UBS espera preço médio em 2006 de 126,2 centavos de libra, ou US$ 2.784 a tonelada, e de 127,5 centavos em 2007, ou US$ 2.812 a tonelada. "Nós acreditamos que a recuperação dos preços do alumínio resultam em larga medida dos fluxos de fundos para as commodities, impulsionados pela forte perspectiva para a demanda global e pela crescente possibilidade de problemas de oferta este ano", disse o UBS. Os preços do zinco, que acumulam neste ano uma alta de cerca de 80% na London Metal Exchange, deverão ficar em média em 165,4 centavos por libra peso em 2006, ou US$ 3.649 a tonelada, previsão 65% superior à de janeiro. Para 2007, a previsão é de 185 centavos de dólar a libra, ou US$ 4.081 por tonelada, um aumento de 95% em relação à previsão anterior. Para o níquel, a estimativa do UBS é de preço médio de 761,2 centavos por libra peso, ou US$ 16.794 por tonelada em 2006, uma estimativa 15% maior que a anterior. Para 2007, a previsão aumentou 40%, para 765 centavos por libra peso, ou US$ 16.878 por tonelada. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

02 de maio de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
ações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.