Bancos da China elevam juros sobre empréstimos para limitar crédito

Taxas cobradas por uma instituição estatal de tomadores de empréstimos do setor industrial que são altamente poluentes são 45% mais altas do que as pagas ao governo

Danielle Chaves, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2011 | 09h23

Alguns bancos da China elevaram fortemente as taxas cobradas sobre empréstimos para controlar o crescimento do crédito, em seguida a um acentuado aumento nos novos empréstimos neste mês, afirmou o China Securities Journal, citando fontes do setor.

Segundo o jornal, as taxas cobradas por um banco estatal de tomadores de empréstimos do setor industrial que são altamente poluentes ou possuem excesso de capacidade são 45% mais altas do que a taxa de empréstimo de referência do governo, enquanto as taxas sobre imóveis são ao menos 10% mais altas.

Outro banco comercial elevou as taxas de juros sobre empréstimos para pequenas e médias empresas em cerca de 40%, mas a demanda por crédito continua forte, disse o jornal.

Os bancos geralmente oferecem taxas mais baixas do que a de referencia do governo para atrair clientes corporativos. No entanto, agora as instituições estão tentando limitar o crédito porque já usaram quase toda a cota permitida para janeiro.

O governo da China tem tomado diversas medidas para frear a expansão do crédito no país, como parte dos esforços para limitar a alta da inflação. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.